5 de agosto de 2011

Posted by Samuel Balbino | File under : ,

“Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas são proveitosas; todas as coisas me são lícitas, mas não me deixarei dominar por nenhuma delas” (1ª Coríntios 6.12).

Vamos fazer uma rápida análise desse versículo. O que será que Paulo quis dizer com “todas as coisas me são lícitas”? Significa que podemos fazer tudo aquilo que quisermos, mas nem tudo o que queremos vai trazer algum proveito ou benefício para nós. Aqui não temos uma liberação total sobre a nossa conduta como alguns pensam, antes o apóstolo se usa dessa expressão para alertar que não podemos fazer tudo o que queremos, porque esbarramos em uma condição fundamental, que é a de se aquilo que fazemos é proveitoso ou não. Do contrário, estaremos nos sujeitando a coisas nocivas e que podem até por vezes nos dominar.

Gosto de dar exemplos práticos. Estamos chegando a mais um fim de semana, e geralmente as pessoas saem para se divertir. Não há nada de errado nisso, mas qual é o tipo de diversão que você está planejando? Com quem você irá desfrutar de momentos de lazer? Devemos compreender que há certos lugares que não são adequados para nós cristãos, e pessoas que não vão acrescentar nada de bom a nossa vida, precisamos evitar tanto um como o outro. Lembro-me que certa vez na faculdade eu fui convidado para um churrasco com todas as turmas do meu curso, análise e desenvolvimento de software. Quando vieram me convidar eu fui muito cordial  e educado, mas dei alguns motivos pelos quais eu não poderia participar, disse que dava aulas no sábado e por tanto não poderia ir, mas numa outra oportunidade eu participaria. Eu não menti, realmente eu daria aula no sábado seguinte, mas se eu quisesse  remarcar a aula para o outro sábado e então poder participara da festa, nada me impediria. Entretanto, não era necessário pensar muito para discernir que aquele não seria um ambiente propício para mim, haveria bebedeira, músicas de duplo sentido, aquele clima de “azaração” (pecado), e logo de pronto eu dei minha desculpa. Na semana seguinte vi todos comentarem que beberam até cair, que “ficaram”, fizeram uma série de coisas que não vale a pena escrever aqui. E após isso fiquei pensando: Se eu tivesse ido, como estaria minha consciência agora? Muito pesada, pois eu não tinha motivo nenhum para está ali; eu poderia, ninguém iria me impedir de ir, mas não era algo proveitoso; pelo contrário, seria algo muito nocivo.

Que nesse fim de semana que se aproxima, tenhamos mais discernimento, e procuremos nos afastar de tudo aquilo que nos afasta de Deus. Posso fazer qualquer coisa, mas nem todas as coisas são boas e proveitosas para serem feitas por mim.

“Não vos adapteis às formas deste mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que comproveis qual é a vontade de Deus: O que é bom, o que lhe agrada e o perfeito” (Romanos 12.2).

Pr. Samuel

1 comentários:

Irismar Oliveira disse...

Li uma vez uma versão que dizia, sobre esse versículo : TUDO que cristo não tenha dito não, mas que pode me dominar e trazer danos eu não quero.

Um belo FDS