29 de junho de 2014


Abaixo segue o estudo que acabei de ministrar na Escola Dominical da IPB de Felipe Camarão, na classe dos jovens.

Texto: João 5.1-15

Pensamento: Jesus é manifestação corpórea da misericórdia de Deus e é aquele que remove nossas limitações espirituais.

ALGUNS DETALHES A REFLETIR...

1.As portas de Jerusalém e o tanque:

a)  A cidade de Jerusalém tinha um formato quadrangular e cercado por 12 portas, uma delas era a porta das ovelhas, pois por ela passavam as ovelhas a serem sacrificadas no templo;
b) Ao lado dessa porta havia um tanque com 5 pavilhões cobertos;
c) Esse tanque era abastecido por uma fonte de água mineral cuja pressão interna fazia com que a água borbulhasse de vez em quando;
d) Os judeus possuíam 3 festas básicas que eram motivos de peregrinação à Jerusalém: a páscoa, o pentecostes e a festa dos tabernáculos;
e) Ao virem pessoas de todas as direções elas podiam optar por qualquer uma das 12 portas, mas pela porta das ovelhas entravam aqueles que estavam doentes, pois acreditavam que ali era um local de cura;
f) O nome do tanque (Betesda) quer dizer casa de misericórdia, as pessoas que entravam por ali esperavam encontrar o favor de Deus para suas vidas;

2. O paralítico enfermos a 38 anos:

a) A enfermidade era um fator de exclusão social;
b) A paralisia o impedia de trabalhar, de ter uma família, de cultuar, ele vivia preso a uma esteira no chão;
c) Alguém lhe fazia o favor de lhe deixar ali e pronto, sua vida se resumia aquela esteira perto do tanque;
d) Esse homem vivia um drama, uma frustração que tornava sua vida uma das mais tristes que pode imaginar;

3. A crendice do povo:

a) O povo judeu era é ainda é um povo supersticioso, vemos vários exemplos de crendíces populares que eles tinham;
b) Existia uma crença de quando a água se agitava era na verdade a ação de um anjo movimentado as águas, e aquele que entrasse no tanque primeiro seria curado;
c) Isso era no mínimo maldade porque só poderia ser curado quem estivesse numa condição que permitisse pular na água assim que ela fosse agitada, os que não podiam se mover ficavam a ver navios, como esse homem da narração;

4. Bestesda, um lugar de desgraça e egoísmo:

a) Apesar do nome Bestesda não era um lugar de misericórdia, e sim de desgraça, ali estavam os desprezados, ignorados, sofredores, uma história mais triste do que a outra;
b) por outro lado quem estava ali só se preocupava consigo mesmo, cada qual queria resolver o seu problema sem pensar no outro;
c) o homem disse que não tinha ninguém que o ajudasse a entrar no tanque, em 5 pavilhões não existia uma só alma que pudesse ajudar aquele doente, mostrando a indiferença dos que viviam ali;
d) Betesda, assim como nosso mundo hoje, era um lugar de pessoas egoístas, que só se preocupavam consigo mesmas;

5. Mais uma cura no sábado:

a) Assim com já tinha feito em outra passagem Jesus curou no sábado;
b) Os judeus haviam criado várias interpretações sobre como guardar o sábado uma delas proibia carregar coisas e o homem foi visto carregando seu leito na verdade uma esteira;

ALGUMAS LIÇÕES

I - Cristo é a oferta pelos nossos pecados:

Ao entrar pela porta das ovelhas Jesus revela que aqueles animais apontavam para a sua obra redentora, pois eles entravam por ali justamente para serem sacrificados pelos pecados do povo, do mesmo modo que ele seria sacrificado pelos pecados da sua Igreja;

II – Cristo é a manifestação corpórea da misericórdia de Deus;

As pessoas iam até aquele tanque esperando encontrar misericórdia, mas Deus mostra a plenitude dessa misericórdia na pessoa de Jesus;

III – Cristo é a porta das ovelhas;

Jesus usou essa expressão em João 10.9 justamente para que quem ouvisse pudesse lembrar essa porta e entender que assim como os que entram pela porta física esperam encontrar alívio para as enfermidades, os que entram pela porta espiritual, que é ele próprio, encontrarão repouso e cura para a sua enfermidade espiritual;

IV – Cristo está acima das crendices humanas;

Jesus curou o homem instantaneamente, sem requerer nem mesmo fé do doente, nem nenhum elemento extra.

As pessoas ali acreditavam que aquela água poderia curá-las, mas Cristo mostrou que elas estavam erradas, somente ele tem poder sobre as enfermidades, revelando mais uma vez sua divindade e soberania sobre todas as coisas;

Por que então hoje milhares de pessoas se submetem a amuletos, rituais sincretistas para esperando receberem as bênçãos de Deus?

V – Cristo mostra seu amor eletivo:

Mesmo nessa pequena narração vemos claramente uma alusão ao amor eletivo de Deus; em cinco pavilhões cheios de doentes, Jesus se compadeceu somente de um;

O mundo hoje está repleto de pessoas caídas e presas nos mais terríveis pecados, mas nem todas receberão o dom da Graça  de Deus;

VI – Nossa dependência e incapacidade:

O paralítico serve de exemplo para nós, pois do mesmo modo em que ele não podia ir de encontro a sua cura, nós também, enfermos pelo pecado, não podemos ir de encontro à salvação;

Jesus tomou a iniciativa de ir ao paralítico e curá-lo, do mesmo modo que ainda hoje, através da providência, ele vai ao encontro dos pecadores e os salva;

VII – A cegueira do legalismo:

Os fariseus exageravam na observância do sábado e negligenciavam o 2º mandamento: amar o próximo;
Durante 38 anos o homem esteve naquele lugar e ninguém o ajudou;

Jesus o livra daquele sofrimento, e ao invés de ficarem felizes, os religiosos acusam o ex-paralítico de violar o sábado;

“Cumprir regras é mais importante do que fazer o bem”; Isso é a falsa religiosidade. (Tg. 1.27).

Quando vemos pessoas hoje se preocupando tanto com roupas, usos e costumes, devemos lembrar que essas coisas secundárias não devem ocupar nossa mente e nosso tempo;

VIII – Cristo vai em busca dos que sofrem;

Jesus entrou por aquela porta de propósito, pois ele sabia que lá ele encontraria pessoas precisando dele;
A Igreja deve ir em busca das pessoas que precisam dela e não evitá-las;

A igreja tem a missão de realizar esse trabalho hoje;

VIV – Cristo acolhe ao pecador, mas confronta seu pecado;

A mensagem de Cristo para aquele homem foi semelhante a da mulher adútera: vai e não peques mais;
Muitas vezes Deus vai nos advertir através de problemas como enfermidades, situações difíceis e etc, mas a lição é sempre esta: procure santificação;

Tanto os que já são crentes como aqueles que a Igreja está acolhendo são chamados para santidade;

Conclusão: Nada disso seria possível se a misericórdia de Deus, através de Jesus, não tivesse nos alcançado.

Ir. Samuel


0 comentários: