Pular para o conteúdo principal

Uma Vez Salvo, Salvo para Sempre - I



Esta afirmação é geralmente muito mal vista pela maioria das pessoas. Dizem alguns: Ah, se eu já estou salvo mesmo então vou beber, me prostituir, me drogar, vou cair na “gandaia”, afinal já estou salvo mesmo. Com este pensamento condenam veementemente várias doutrinas Reformadas como a predestinação e a perseverança dos santos.
Mas será que realmente este argumento está correto? Será que não existe evidências de que a frase “uma vez salvo, salvo para sempre” tem respaldo bíblico?
Confesso que seria necessário muito mais palavras para discorrer sobre este assunto, que, aliás, vem causando polêmica entre calvinistas e arminianos a quase 500 anos.
Basta analisarmos este pensamento que muitos usam para desacreditar a doutrina da predestinação e da perseverança dos santos.
“Ora, se já estou salvo, então posso me entregar aos prazeres da vida, pois de qualquer maneira a salvação me está garantida”.
Os arminianos sabem que todo calvinista sincero, e que entendeu o Evangelho de fato e verdade, nunca incentivou às pessoas a desenvolverem tal pensamento. Se é pregada a segurança eterna, também é pregado o novo nascimento e a regeneração do homem. Na verdade o que os defensores da salvação perdível querem é levar ao extremo o que cremos, nós calvinistas, para tornar o que ensinamos como sem nenhuma credibilidade e legitimidade bíblica.
Atentando bem ao pensamento arminiano podemos concluir:
1.Que a nossa salvação deve ser assegurada por nós mesmo;
2.Que só nos esforçamos por sermos santos diante de Deus e resistir ao pecado por medo de ir ao inferno;
3.Que Deus teve uma parte em nossa salvação, mas o restante é conosco;
4.Que Deus nos deixou entregue a própria sorte.
Que a nossa salvação deve ser assegurada por nós mesmo:
“Salvação, tanto no Novo quanto no Antigo Testamento está na ordem da fé e da obediência (...) Obedece a Cristo vai pro Céu, não obedece a Cristo, vai perecer e vai pro inferno” (Pr. Silas Malafaia em uma de suas preleções).
De acordo com o trecho da pregação feita pelo pentecostal Silas Malafaia, a nossa salvação está inteiramente condicionada à nossa obediência ou não a Cristo. Assim sendo, nós somos os responsáveis por nos mantermos ou não dentro da qualidade de salvos. A questão é: Se eu pecar eu perco a minha salvação. Então todos os dias estamos nesse ping-pong, estou salvo, estou perdido. Todos nós pecamos todos os dias, e aliás, até mesmo pecamos sem saber. Daí alguns argumentam: Mas não é qualquer pecado que faz o cristão perder a sua salvação! Gostaria então de saber qual é o pecado que torna possível eu perder a minha salvação para que eu possa me prevenir contra ele, vou cometer somente os que não podem me fazer perder a vida eterna. Isto é absurdo.
A salvação não está condicionada a nossa obediência, se não for assim todos nós estamos perdidos e ninguém irá pro céu. Quem pode dizer que não pecou já hoje? Pensar dessa forma é anular o poder de Deus ou dizer que ele é muito indiferente a nós, pois nos deu uma salvação que a qualquer momento podemos perdê-la irremediavelmente.
A obediência a Deus é uma consequência da salvação, pois o homem em Cristo é feito nova criatura, agora ele recebeu a mente de Cristo, recebeu o Espírito Santo, ele foi regenerado. Não significa que ele não possa pecar, ainda estamos em um corpo corrompido pelo pecado, que se inclina para as coisas do pecado, porém uma vez transformado o cristão não volta mais permanentemente para as suas atitudes de quando ele ainda estava morto em delitos e pecados.
“Não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbedos, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus. E tais fostes alguns de vós; mas fostes lavados, mas fostes santificados, mas fostes justificados em nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus” (1ª Coríntios 6.9-11).
Todo cristão é “ex alguma coisa”. Deus o tirou dos mais terríveis pecados e o regenerou, dizer que ele se “desrregenera” é dizer que a obra que Deus fez não foi eficaz, que Deus falhou. Se uma pessoa que diz que se converteu, depois de um tempo abandona a comunhão dos santos e volta pros mesmos pecados de outrora e morre neles, então tal pessoa evidenciou que nunca foi salva, nunca foi regenerada, nunca teve um encontro com Deus, porque os que foram eleitos e salvos quando pecam se arrependem, se sente constrangidos e confessam seus pecados ao Senhor.
É o próprio Deus quem assegura a nossa salvação, mesmo que por algum instante sejamos infiéis.
“Se somos infiéis, ele permanece fiel; porque não pode negar-se a si mesmo” (2ª Timóteo 2.13).
O Senhor JESUS nos assegurou salvação eterna quando disse:
As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem. Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará das minhas mãos” (João 10.27,28).
O texto é bem claro, não há possibilidade da ovelha ser tirada das mãos do pastor, dizer o contrário é chamar JESUS de mentiroso. É justamente o que muitos têm feito por ai. Dizem que o diabo ou pecado podem nos arrebatar das mãos do Nosso Senhor, desta forma então “ninguém” não deveria ter aparecido nesse versículo.
Agora eu questiono sem medo algum a conversão daqueles que acusam a doutrina da segurança eterna de ser falsa e herética. Será mesmo que vocês são salvos? Vocês já se arrependeram de todos os seus pecados hoje?
Outra coisa que quero questionar é a verdadeira devoção desses “cristãos inseguros”. Se vocês dizem que se acreditassem que estão salvos eternamente iriam cair na gandaia, se entregar aos prazeres da vida, porque afinal já estão salvos mesmo, então vocês não amam a Deus de fato! Não o servem por amor e gratidão, mas apenas por medo de ir ao inferno! Vocês não foram mudados e ainda permanecem nos seus delitos e pecados, porque o salvo, aquele que foi feito nova criatura não precisa estar debaixo de ameaças para ser fiel e obediente.
Vou dar um exemplo prático. Um funcionário de um banco que lida com grandes quantias de dinheiro todos os dias é monitorado por uma rede de segurança composta por câmeras em diversos ângulos que monitoram tudo o que ele faz. Ele não se atreve a roubar o banco. Podemos dizer que ele honesto? Se for retirado todo o sistema de monitoração eletrônica e ele permanecer sem roubar, ai sim podemos dizer que ele é honesto. Mas se ele começar a esconder e surrupiar o dinheiro do banco aproveitando-se de que não há ninguém o monitorando, então esse funcionário nunca foi honesto, ele apenas não roubava porque estava sob a ameaça de um instrumento punitivo. O mesmo vale para aqueles que se dizem “cristãos”, mas só não pecam porque têm medo de ir pro inferno e não porque são gratos a Deus e o amam.
Em minha opinião, é muito duvidosa a conversão de pessoas assim.

Pr. Samuel
__________________________________________________________
Continua na próxima postagem

Comentários

Márcio Mendes disse…
Meu amado, como se julga um ato em que a pessoa nem cometeu ainda?
Se puder me explicar.
Bom dia PR. Samuel, lhe indiquei ao MEME literário, passe no blog e veja as regras se desejar por participar!!Um bom dia
Marcelo Targon disse…
paz
bom dia
grata surpresa em encontrar um texto tão bom...
tenho um cunhado em SP, não me lembro a igreja na qual ele congrega, que o pensamento atuante lá é este. Uma vez salvo, pronto, nada mais me tira isso. Não há uma busca por santidade, por uma vida santificada com Cristo, bem como vc falou, será que é por medo de ir para o inferno, ou é realmente uma conversão verdadeira e uma entrega total a Jesus...
Muito bom o texto.

me visite, se gostar vamos trocar banners ok?
www.marceloibl.blogspot.com

Deus abençoe
Marcelo
Samuel Balbino disse…
Irmão Marcio,

Creio que o irmão deve estar questionando como Deus pode condenar pacadores antes mesmo que eles cometam pecado. Para compreender isto é necessário discenir a predestinação, pois assim como Deus elegeu e predestinou pessoas para as salvar e regenerar, ele destinou outras a permanecer no seu estado de morte espiritual, sem qualquer esperança de salvamento. Aliás, este é o ponto que mais gera confusão na mente de muitas pessoas, porque alguns não conseguem admitir que Deus possa fazer isso.
Mas a Bíblia é muito clara quando diz:"E que direis, se Deus, querendo mostrar a sua ira, e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita paciência os vasos da ira, preparados para a perdição" (Romanos 9.22). Veja que estes vasos de ira já estavam preparados para perdição, este é o julgamento de Deus. Agora, quanto a nós, os que cremos, diz:"para que também desse a conhecer as riquezas da sua glória nos vasos de misericórdia, que de antemão preparou para a glória" (Romanos 9.23). Percebe? Em ambos os casos os julgamento de Deus já estava antecipado, ele determinou que seria assim, não há nada de errado com isso. Aqueles que não recebem o evangelho e morrem em seus pecados, estão trilhando o caminho traçado pra eles; Pedro diz isso quando escreve:"Como uma pedra de tropeço e rocha de escândalo; são estes o que tropeçam na palavra, sendo desobedientes; para o que também foram destinados" (1 Pedro 2.8).

Obrigado pelo comentário e pergunta!
Samuel Balbino disse…
Obrigado irmã Irismar! Estarei indo no seu blog agora mesmo.
Samuel Balbino disse…
Irmão Marcelo,

É um grave erro de um ministério ensinar que se estamos salvos para sempre podemos pecar e fazer o que quiser. É verdade que estamos salvos para sempre é que nada pode mudar esta realidade, mas a Bíblia nos ensinar a buscar santificação, primeiro porque fomos regenerados, as coisas desse mundo não são mais a nosa prioridade, somos transformados de glória em glória, fomos chamados para viver uma vida sante diante de Deus. Agora dizer que podemos fazer o que bem entender e esta tudo bem é um equívoco porque aquele que nasceu de novo não vive na prática do pecado, inclusive esta é uma mensagem que preguei a algum tempo e está dispónível para ser ouvida aqui no blog. Gostaria de saber que denominação é essa que o irmão se referiu.
Desde já obrigado pelo comentário e elogio.
É isso irmão,

Se uma pessoa teve um encontro com o Senhor e o aceitou de fato, não há o que discutir.

NADA O SEPARARÁ DO AMOR DE CRISTO. RM. 8.37

Logo, uma vez salvo... salvo para sempre.

Porém, o fraco ensino no meio evangélico, transforma essa doutrina, num ponto de errôneas interpretações.

O perigo existe quando uma pessoa, sendo mau ensinada, PENSA QUE É UM SALVO, PENSA QUE JÁ ACEITOU A CRISTO COMO ÚNICO E SUFICIENTE SALVADOR, e aí, passa a achar que pode pecar pois entende que já é um salvo em Cristo, e nesse caso acaba se transformando num servo de Satanás no meio da Igreja do Senhor.

Irmão, não quero me alongar mais aqui, em sua página postei um comentário mais amplo.

Deus o abençoe ricamente

Um forte abraço
Marcelo Targon disse…
paz
não sei o nome da denominação, se minha esposa lembrar, pois é a irmã dela que frequentava a Igreja, que depois de mais um caso de adultério,abandonou o marido e as três filhas.
te falo em outra oportunidade se conseguir descobrir.

Deus abençoe
Marcelo
www.marceloibl.blogspot.com

pegou o banner no meu blog, n to vendo ele aqui
Pr. ROBERTO disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Pr. ROBERTO disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Pr. ROBERTO disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Pr. ROBERTO disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Samuel Balbino disse…
Graça e paz Roberto.

Estarei respondendo aos seus comentários em breve.
Anônimo disse…
irmão,

desculpe-me mas sendo assim,estando muitos predestinados ao inferno, e outros ao inferno, qual a necessidade do evangelho claramente citado em: E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.Marcos 16:15

e se sendo assim, estando todos com seus destinos trassados não podendo escolher se assim almeja o céu ou o inferno, porque a mesma passagem continua dizendo:Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. Marcos 16:16
se já esta pre definido, então onde se encontra o livre arbitro? e sê assim, por que Jesus diz:Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. João 14:6
se ele é o caminho, que nos conduz ao pai,certamente que há um caminho ao inferno. dessa maneira, é certo acreditar que e Deus que nos conduz cada um a certo destino? se assim, como acreditar que ele tem por nós um amor incondicional? como acreditar que ele não faz diferença? e se assim porque dele dizer:Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela;
E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem.
Mateus 7:13-14
espero que possa suprir minhas duvidas.
grato Abraão
Pr. Edson disse…
O erro do ensino da prédestinação está na gramática, pois predestinado siguinifica reservado,consagrado;o que é diferente de predeterminado,fixo,decidido,encerrado.O que falta é entendimento da palavra,graça e paz Pastor Edson A. Sodré.