Pular para o conteúdo principal

Série: Devocionais - Sexta-Feira - E se Fosse Você?


“E eis que se aproximou dele um jovem, e lhe disse: Mestre, que bem farei para conseguir a vida eterna? Respondeu-lhe ele: Por que me perguntas sobre o que é bom? Um só é bom; mas se é que queres entrar na vida, guarda os mandamentos. Perguntou-lhe ele: Quais? Respondeu Jesus: Não matarás; não adulterarás; não furtarás; não dirás falso testemunho; honra a teu pai e a tua mãe; e amarás o teu próximo como a ti mesmo. Disse-lhe o jovem: Tudo isso tenho guardado; que me falta ainda? Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, segue- me. Mas o jovem, ouvindo essa palavra, retirou-se triste; porque possuía muitos bens” (Mateus 19.16-22).

Toda às vezes em que medito nessa passagem dou uma risada! Não sei se todos conseguem fazer o mesmo, mas fico impressionado de como JESUS é inteligente. Veja que ele logo de pronto identificou o espírito bajulador desse homem que foi até ele com ares de quem está em por cima das coisas ou como alguém que buscava a piedade como virtude.

Cristo, por ser Deus e ser onisciente, sabia que no fundo aquele sujeito era na verdade um adorador de “Mamom”, isto é, a única coisa que realmente importava para ele era a sua riqueza. Se aproximou de JESUS talvez pensando que seria “adulado” pelo mestre pelo fato de ser rico, ou talvez imaginando que JESUS multiplicaria sua riqueza. O fato de ele ter perguntado sobre a salvação não significa que ele a desejasse. Ele nem ao menos acreditava nisso, ele só usou a pergunta como uma forma de dissimular os seus intentos materialistas. Por isso dou uma risada toda à vez que leio essa história, porque percebo a “sacada” de JESUS, e como ele deu uma resposta adequada.

Este homem é o tipo de pessoa que imagina poder alcançar as coisas espirituais mediante os seus próprios esforços. Exatamente como a maioria do povo de Deus hoje, pensando que com muitos sacrifícios é que pode receber a vida eterna. Talvez o sujeito acreditasse que fazendo algum tipo de caridade como uma esmola ou algo parecido, ele recebesse a salvação. Cristo foi direto ao assunto. Venda tudo o que você tem e dê aos pobres! Os espíritas acreditam que isso prova que fora da caridade não há salvação, mas temos que entender que aqui, O Senhor, “jogou uma verde para colher madura”. Ele mostrou para o jovem que enquanto ele estivesse apegado aos seus bens e fortuna, ele jamais seria salvo. Tanto é que depois de ouvir isso ele saiu e foi embora muito triste. Por quê? Porque não era capaz de se desfazer dos seus bens por amor ao Reino.

Será que não estamos agindo como esse jovem? Será que não existe algo em nossa vida do qual não sejamos capazes de abrir mão pelo SENHOR? Não significa que precisemos nos desfazer de certas coisas, a questão é se somos capazes de viver sem elas, mostrando assim que nossa prioridade é de fato o Reino de Deus. No caso do jovem o problema era o amor à riqueza, e no nosso caso? Será que não há “alguém” ou “algo” que está se interpondo entre nós e Cristo? Faça um teste. Pense o seguinte: Se JESUS me pedisse para abrir mão desse “algo” ou “alguém”, eu faria? Reflita sobre qual seria a sua resposta. Lembre-se, Deus pediu Isaque a Abraão e ele prontamente estava disposto a sacrificá-lo. E se fosse você no lugar dele?


Versículo para  memorizar...

“E todo o que tiver deixado casas, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou filhos, ou terras, por amor do meu nome, receberá cem vezes tanto, e herdará a vida eterna” (Mateus 19.29).


Pr. Samuel

Comentários