Pular para o conteúdo principal

Série: Devocionais - Sexta-Feira - Louvado Seja Eu!



“Que te louve o estranho, e não a tua própria boca; o estrangeiro e não os teus lábios” (Provérbios 27.2).

Não é estranho quando a pessoa se louva a si mesma? Creio que não existe coisa mais inconveniente. O pior é que existe muita gente se exaltando por ai. Isso acontece por falta de uma virtude que é muito importante e está em falta esses dias: Humildade. Ser humilde não significa necessariamente ser pobre, significa ser desprovido de vaidades, dessa mania de grandeza que temos observado em nossa sociedade. Há pessoas que fazem de tudo para serem elogiadas, vivem procurando por isso. Algumas atitudes são tomadas visando unicamente o propósito de se engrandecer acima dos outros. Este não é um procedimento cristão. Mas infelizmente temos contemplado muitos crentes agindo dessa forma.

Em todo lugar sempre tem aquele irmão que é reconhecido como “muito santo”, e ele adora quando os outros se referem dessa forma. É como uma massagem no ego. O homem é glorificado e não Deus. Precisamos nos lembrar que nossa vida não nos pertence, não vivemos para nós; logo o crédito pelo nosso sucesso também não é nosso, mas de Deus. Lembremos que Cristo nos disse:

“Sem mim nada podeis fazer” (João 15.5).

Se agirmos prudentemente neste mundo, e isso é admirado pelo outros, não podemos arrogar para nós a glória e sim ao Senhor, pois ele é que efetuou o querer e o realizar. Enquanto estivermos querendo que os outros nos exaltem, não estamos reenderizando essa glória a Deus. Não estou dizendo com isso que não podemos ser elogiados, o que não podemos é viver em função disso. E quando acontecer de recebermos honra de alguém, que a lancemos sobre Deus, não a tome para Si.

O sábio Salomão adverte para que não nos louvemos a nós mesmos, mas que os outros possam ver em nós motivos para nos louvar. Que isso aconteça naturalmente e não provocado. Que as nossas atitudes sejam por motivos nobres e não puramente para serem levadas aos holofotes da vida. Paulo recomenda:

“Portanto, quer comais, quer bebais ou quer façais qualquer outra coisa, fazei tudo para a glória de Deus” (1ª Coríntios 10.31).

Acima de tudo que nossas boas obras sejam para exaltar o único digno de receber glória: o nosso Deus. Se queremos tentar impressionar alguém, que seja ele. O louvor até pode vir dos outros, mas que seja endereçado ao autor de toda bondade e misericórdia e não a nós.

Versículo para memorizar...
“Convém que ele cresça e que eu diminua” (João 3.30).

Ir. Samuel

Comentários