19 de abril de 2011

Posted by Samuel Balbino | File under : , , , ,


O apóstolo Paulo diz: "Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito" (Rm 8:28). Charles Hodge, grande teólogo e intérprete das Escrituras, disse que esta palavra, "chamados", nunca é aplicada, nas epístolas do Novo Testamento, àqueles que receberam apenas o convite exterior do Evangelho. Ela sem­pre se refere aos efetivamente chamados.12 Tal chamamento não é segundo os méritos dos homens, mas de acordo com o propósito divino (Rm 9:11; Ef 1:11; 2Tm 1:9). Os cha­mados o são segundo um propósito; o propósito antecede o chamamento.13

Paulo está dizendo que o nosso amor por Deus tem sua origem na eleição divina. Nós o amamos porque, no seu propósito eterno, ele nos escolheu e nos chamou para a vida eterna. O nosso amor por Deus é resposta ao amor de Deus por nós. É reflexo do amor divino por nós. Amamos a Deus porque ele nos amou primeiro. O nosso amor é decorrente, é conseqüente, é fruto do amor eletivo de Deus. Não fomos nós que escolhemos a Deus, foi ele quem nos escolheu primeiro. Esta verdade bendita está fartamente documentada nas Escrituras (Jo 15:16; Ef 1:4; 2Tm 1:9; 2Ts 2:13). Fomos incluídos no propósito eterno de Deus. Ele nos amou desde toda a eternidade (Jr 31:3). Não existe o acaso para nós. Nossa vida, nosso futuro e tudo o que nos diz respeito estão sob o total controle do Senhor. O seu propósito em nossa vida não pode ser frustrado.

Mas que propósito é esse? O maior propósito que Deus estabeleceu para a nossa vida não é sermos ricos, famosos, tendo o cetro do poder nas mãos ou tendo o nosso nome saindo nas manchetes dos jornais. O grande propósito de Deus é transformar-nos à imagem de seu Filho. O grande propósito de Deus não é nos fazer celebridades, mas san­tos. O alvo de Deus em nossa vida não é nos fazer milioná­rios, mas parecidos com Jesus. O maior sentido da vida não é alcançar o sucesso segundo o padrão do mundo, mas possuir o caráter de Cristo. Jesus é o nosso ideal. Ele é o supremo alvo da vida. O apogeu da nossa história será alcan­çado quando atingirmos a plenitude da estatura de Cristo. Caminhamos em direção a este alvo até sermos revestidos com um corpo de glória, semelhante ao corpo de Cristo.

Os problemas da vida, os vales de dor, as angústias que nos apertam o peito, a doença que nos rouba todo o vigor, a escassez que nos oprime, nada disso pode roubar de nós esse propósito. No entanto, as dificuldades nos tiram aquilo que é supérfluo e aparam as arestas para que sejamos mais parecidos com Jesus, que também aprendeu pelas coisas que sofreu. Deus move céus e Terra para nos ajudar. Os anjos são espíritos ministradores em favor dos que her­dam a salvação. Até mesmo os seres mais insignificantes podem ser usados por Deus para mostrar-nos a providên­cia divina.

Certa vez, li a história de um cristão que estava fugindo de uma perseguição.14 Seus inimigos seguiam no seu en­calço. Eleja podia ouvir o tropel dos cavalos que se aproxi­mavam, resfolegantes. O cristão, com o coração assaltado de medo, entrou numa caverna e escondeu-se no fundo dela. Imediatamente, uma aranha começou a trançar uma teia na porta da caverna. Ele olhou aquele inseto horrível e pensou: "Que bicho mais feio. Como Deus pode fazer um inseto tão inútil e asqueroso?".

Enquanto seus inimigos o procuravam pelos arredores, a aranha terminou de bordar, à porta da caverna, a sua teia. Não tardou para que os inimigos parassem diante da gru­ta. E logo alguém foi dizendo:
— Ele deve estar escondido aí dentro, vamos procurá-lo. Outro, porém, observando os detalhes, foi logo dizendo:
— Não adianta procurá-lo aí. Veja, uma teia de aranha bem novinha aqui, fechando a porta da caverna. Seria im­possível ele ter entrado aqui sem ter rompido essa teia. Vamos embora. Definitivamente ele não está aqui.
Saiba que Deus pode usar até uma aranha para poupar seus filhos. Ele controla cada detalhe de sua vida. Talvez você esteja triste por causa do desemprego, do término do namoro ou do noivado, do prejuízo financeiro, da enfermi­dade ou até mesmo do abandono dos amigos. Saiba que Deus está no controle, e todas as coisas cooperam para o seu bem final.

Certa moça ficou magoada com Deus pelo fato de o seu pai ter ficado doente e falecido. Ele era a única pessoa que ela tinha na família. A jovem ficou tão zangada que saiu da igreja e se isolou, mergulhada nas águas profundas da re­volta. Depois de um tempo, o pastor da igreja foi visitá-la. Ela, então, expôs ao pastor toda sua mágoa e sua revolta. Enquanto fazia um bordado à mão, a moça abriu as câmaras interiores da alma e despejou toda amargura e revolta contra Deus.

O pastor não conseguiu falar-lhe uma palavra sequer. Ao fim da visita, porém, subitamente apanhou da sua mão o bordado e virou-o do avesso, e disse-lhe:

— Não consigo entender como uma moça tão inteli­gente como você consegue fazer uma coisa tão feia.
A jovem imediatamente lhe respondeu:

— Mas o senhor está olhando o bordado pelo avesso. Vire o lado direito do bordado e o senhor verá a beleza dele.

Então o pastor carinhosamente falou à jovem:

— Filha, você está olhando para o plano de Deus do lado do avesso. Olhe pelo lado de Deus, porque na perspectiva do Senhor todas as coisas cooperam para o seu bem.

Agora há pranto e dor. Agora há vale e choro. Agora há fraqueza e doença. Agora há luto e separação. Mas nem a dor, nem o sofrimento, nem a doença, nem a pobreza, nem o abandono, nem a morte podem frustrar os desígnios de Deus em nossa vida. Nada neste mundo, nem no vindou­ro, pode nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus. Nós fomos destinados para a glória, e já estamos com o pé na estrada, em sua direção!
Rev. Hernandes Dias Lopes
("Destinados para a Glória" - Cap. III)

1 comentários:

Isabela Silva disse...

Pastor,
temos que glorificar a Deus por tudo.
Muitas vezes, Ele permite fases dolorosas para lapidar os seus filhos... Mas, infelizmente, algumas pessoas não entendem. Oremos para que tenhamos maturidade espiritual diante das provações!
O nosso Pai é zeloso, mesmo do deserto, Ele nos faz tirar coisas positivas.

"E qual de entre vós é o homem que, pedindo-lhe pão o seu filho, lhe dará uma pedra?

E, pedindo-lhe peixe, lhe dará uma serpente?

Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas coisas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará bens aos que lhe pedirem?"

(Mateus 7:9-11)

Shalom Adonai,

Isabela.