Pular para o conteúdo principal

Mais Algumas Respostas Sobre a Predestinação


 Segue abaixo algumas respostas minhas aos comentários de um blogueiro sobre a predestinação.

___________________

Amado irmão Samuel,

Como já disse em outra oportunidade tenho me mantido longe do computador por estar passando uma temporada fora de meu domicílio, e sem condições de estar visitando a internet, somente o fazendo de vez em quando, e hoje ao abrir minha caixa de e-mails vi alguns temas fortes que sempre foram rigorosamente combatidos, ora publicados por esse irmão, e um deles, é o presente assunto.

Amado irmão, não sigo a "a", "b" ou "c".  Sou um ferrenho Defensor e Seguidor do Escrito Sagrado e as pegadas de Jesus Cristo o Filho de Deus bem como dos grandes homens de Deus, como Abraão, Moisés, Davi, os Apóstolos, etc,  que palmearam suas vidas no santo caminho, daí aproveitando aquilo que de bom fizeram , é óbvio.

No exame do Traçado Divino, não há como não concluir que a doutrina da PREDESTINAÇÃO, constitui uma verdadeira AFRONTA AO CARÁTER DE JUSTIÇA DO TODO PODEROSO.

R.: Não amado irmão. A predestinação não afronta o caráter e a justiça de Deus, isso é o que o “seu” ego humano imagina. E por quê? Porque ele se sente ofendido ante a soberania e majestade de Deus. É normal que aconteça. Vivemos em uma sociedade que está enraizada pela falácia do humanismo, onde o bem-estar do homem está acima de todas as demais coisas, inclusive de Deus. Creio que você não deva ter feito uma análise mais acurada da questão ou as suas idéias preconcebidas o impedem de contemplar o maravilhoso desígnio predestinador do Altíssimo. Mas tenho certeza que no devido tempo estabelecido suas conclusões serão outras. Tenho visto um crescimento no número daqueles que têm largado as doutrinas humanas como o livre arbítrio e que têm abraçado a graça soberana e eletiva de Deus. Isso acontece porque o Senhor sempre preserva em todos os tempo da história um remanescente que não se dobra diante do sistema enfermo que está ai fora.

Existem textos básicos que devem direcionar o estudo do servo como por exemplo:
 1 - DEUS NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS.

R.: Geralmente quando se fala em predestinação esse é o primeiro argumento que usam. Mas pergunto eu: Será mesmo que Deus não faz acepção de pessoas? Veja um texto interessante sobre o povo de Israel quando a décima praga estava prestes a ser enviada:

“Mas contra os filhos de Israel nem mesmo um cão moverá a sua língua, nem contra homem nem contra animal; para que saibais que o Senhor faz distinção entre os egípcios e os filhos de Israel” (Êxodo 11.7).

Você entendeu bem irmão? Deus fez “distinção” entre os hebreus e os egípcios.  Ora, de um modo ou de outro isto é um tipo de acepção entre pessoas, concorda? No hebraico original “distinção” nesse texto é [יפלה] cujo significado é exatamente fazer diferença entre uma coisa e outra. Fazer diferenciação é fazer acepção. De algum modo você terá que admitir que temos uma acepção aqui, independente do grau em que ela se deu.

Mas indo ao Novo Testamento e no que diz respeito à salvação, Deus não faz acepção de pessoas. Agora imaginam alguns que a predestinação contradiz esse princípio, o que não é verdade. O que acontece é que o pensamento humanista inunda o coração de boa parte do povo de Deus, pois se ele realmente desejasse fazer acepção de pessoas na salvação isso é um direito que lhe assiste, e nenhum de nós poderia dizer que ele não pode agir assim. No entanto, o Senhor não faz acepção de pessoas! Mas em que sentido ele não faz acepção? Não quero me demorar na resposta, mas se o irmão analisar todos os textos onde aparecem essa expressão vai perceber que todo o contexto fala ou de nacionalidade ou de posição social e financeira. Vou citar apenas um exemplo que eu já explanei no meu blog e em meu livro:

“Então, falou Pedro, dizendo: Reconheço por verdade, que Deus não faz acepção de pessoas...” (Atos 10.34).

Precisamos ler todo o contexto para discernirmos o que Pedro está querendo dizer, senão vamos afirmar coisas sobre o texto que ele não diz. Toda a questão gira em torno da discriminação dos judeus contra os gentios. Muitos discípulos não estavam pregando para os que não tinham o sangue judeu. Talvez porque acreditassem que nós não eram dignos da salvação, do mesmo modo como nos consideravam “imundos”. De fato até hoje os judeus ortodoxos conservam esse preconceito. Foi necessário Deus conceder uma visão a Pedro onde ele era ordenado a matar e comer animais considerados impuros para que ele entendesse que o que Deus purifica não deve ser considerado impuro ou indigno. Daí foi que ele próprio reconheceu:

“Vós bem sabeis que É PROIBIDO A UM JUDEU AJUNTAR-SE OU MESMO APROXIMAR-SE DE ALGUÉM DE OUTRA RAÇA...” (Atos 10.28).

Então, temos aqui a revelação de que a salvação não somente para o povo Judeu, mas também para pessoas de qualquer nação. Em seguida o apóstolo diz:

“...mas Deus me mostrou que a nenhum homem considerasse comum ou impuro, por isso, uma vez chamado, vim sem vacilar” (Atos 10.28,29).

Se Ele não tivesse recebido a visão, teria relutado bastante para ir pregar para os gentios quando os enviados do centurião Cornélio chegaram o chamando. Foi depois disto que ele afirmou:

Reconheço por verdade, que Deus não faz acepção de pessoas...”

O resto do versículo diz:

“...pelo contrário, EM QUALQUER NAÇÃO, aquele que o teme e faz o que é justo o é aceitável”. (Atos 10.34,35).

Pedro está dizendo que Deus não é racista. Não importa a nacionalidade, aquele que ouve e crê, é salvo. É nesse sentido que o Senhor não faz acepção de pessoas. Em nenhum momento ele está negando que exista predestinação, o assunto aqui não é esse. O fato da graça ser estendida a pessoas de todas as nações não inviabiliza a predestinação de Deus, pois somente os eleitos é que vão crer quando o Evangelho chegar até eles, e isso em qualquer nação do mundo. A salvação não é somente para os judeus, ou os negros, ou os asiáticos, ou os europeus, mas para todos.

Não podemos negar, contudo, que há uma distinção entre os eleitos e os não-eleitos:

“É por eles que eu rogo; não rogo pelo mundo [todas as pessoas sem exceção], mas por aqueles que me deste, porque são teus” (João 17.9).

Temos ou não uma distinção ai? Temos! Jesus só intercedeu por aqueles que pertencem a ele, e estes estão em todas as nações e raças. E pelo restante? Por que ficaram de fora? Porque não pertencem a ele. Então, quando vemos essa expressão na Bíblia (Deus não faz acepção de pessoas), temos que ter em mente o que de fato está sendo dito.


2 - DEUS QUER QUE TODOS (Não apenas alguns)  OS HOMENS SE SALVEM E VENHAM AO CONHECIMENTO DA VERDADE.

R.: Como eu já explanei, a salvação é somente para os eleitos de Deus, e estes estão em todas as nações, etnias, classe social, idiomas e etc. Do modo que está sendo colocado pelo irmão, vemos nisso algo terrível, que seria a impotência de Deus. Por quê? Porque sabemos todas as pessoas do mundo não serão salvas, assim sendo, Deus teria um desejo, mas não é capaz de realizá-lo, isto é, ele dependeria do homem para conseguir realizar o maior dos seus desejos. A salvação é algo muito complexo e colocá-la sob o poder do homem é humilhar a Deus, que se vê frustrado em seu desígnio de salvar. Logo é errado entender que o Senhor deseja a salvação de todas as pessoas sem exceção. Temos o próprio Jesus afirmando que veio dar sua vida pelas suas ovelhas, e não por toda humanidade (João 10.14-16).

3 - O INFERNO FOI FEITO APENAS PARA SATANÁS E SEUS SEGUIDORES, logo não foi feito para seres humanos.

R.: Não entendi muito bem sua colocação. Mas o irmão está insinuando que nenhum ser humano irá para o inferno? Bem, se for isso temos um erro de interpretação grave, porque Jesus disse isso fazendo menção ao evento final, onde estarão alguns  à sua direita e outras à sua esquerda. Os da direita são justamente as suas ovelhas, e os da esquerda aqueles que em toda a sua vida o negaram e praticaram inquidade, estes são os seguidores e anjos do diabo, o fim dele será a destruição eterna.

4 - DEUS AMOU AO MUNDO DE TAL MANEIRA QUE ENVIOU SEU UNIGÊNITO FILHO, PARA QUE TODOS( Não apenas alguns) , AQUELES QUE NELE CREREM.... 

R.: Aqui voltamos novamente à questão da nacionalidade. Quando vemos os apóstolos usarem a expressão “mundo”, é exatamente no sentido de “todas as nacionalidades, povos, etnias”. Veja que em Apocalipse diz:
“E cantavam um cântico novo, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda tribo, e língua, e povo e nação” (Apocalipse 5.9).

Nunca foi a intenção de Deu salvar “todas as pessoas” de todas as partes do mundo, e sim “pessoas” de todas as partes do mundo. Não somente os Judeus (como eles acreditavam), mas pessoas de toda e qualquer nação. O modo dos discípulos dizerem isso é se referir ao mundo, justamente para deixar bem claro que a graça não se limitava à Israel.
Agora atente bem ao texto que diz: “para que todo o que nele crê”. Você diz que é para todo e não apenas alguns. Realmente se o sentido fosse: “para que alguns que nele crê”, estaria dizendo que dentre os que crêem somente alguns seriam salvos, o que seria uma grande bobagem. Na verdade todos os que crêem são salvos instantaneamente. Mas quem são os que crêem? Os que foram eleitos ou destinados para a vida eterna (Atos 13.48), aqueles que são ovelhas (João 10.26,27), ou seja, aqueles que o Pai concedeu e levou até Jesus (João João 6.37;44).

5 -  JUSTIÇA E JUÍZO SÃO A BASE DE SEU TRONO....
R.: A predestinação não anula a justiça de Deus, a menos que eu, você ou qualquer outro homem possa dizer o que é justo para Deus, e isso não é possível. Não há injustiça alguma da parte de Deus (Romanos 9.14-18).

6 -  IDE, POR TODO O MUNDO E PREGAI O EVANGELHO A TODA (Não apenas à alguma) CRIATURA.

R.: Há eleitos de Deus em todas as nações do mundo, em todas as raças e etnias, eis a razão de pregarmos para todas as pessoas.

 7 - QUEM CRER E FOR BATIZADO (não apenas esse ou aquele) SERÁ SALVO.

R.: Todo eleito crê e é batizado, por isso todo eleito será salvo. E ninguém pode crê e ser batizado a menos que seja um eleito. 

Tais referências, além de outras tantas não citadas aqui, devem determinar o rumo de qualquer estudo bíblico, logo, não cabe entender que a Salvação foi instituída, para alguns apenas.

R.: Como bem mostrei se tratam apenas de equívocos na interpretação, isso se dá quando queremos olhar para as Escrituras com olhos antropocêntricos.

Vi também hoje em outra publicação, esse irmão afirmar que todo homem já nasce perdido, O QUE CONSTITUI MAIS UMA AFRONTA , ATÉ MESMO À INTELIGÊNCIA DO ALTÍSSIMO, que nesse caso estaria colocando a sua imagem e semelhança num ser morto, o que não tem o menor cabimento.

R.: O homem não nasceu morto espiritualmente, ele caiu no estado de morte após a queda. O apóstolo Paulo ilustra esse estado quando diz:

Como está escrito: Não há justo, nem sequer um. Não há quem entenda; não há quem busque a Deus. Todos se extraviaram; juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só”. (Romanos 3.10-12).

Através de Cristo recebemos vida outra vez (Efésios 2.1). Se o homem não estivesse em um estado de depravação total, não haveria necessidade de salvação para ele, pois simplesmente não haveria nada de errado com ele que o fizesse necessitar se salvo. Mas porque o pecado o destituiu totalmente da glória de Deus, é que se fez necessário o Senhor intervir com salvação, e isso através da morte de seu Filho.

Espero ter exposto brevemente, mas da melhor forma possível, o que creio. Não espero que você mude sua opinião por isso, e sim que pelo menos tenha entendido a minha.

Soli Deo Gloria.

Comentários

remanecente disse…
não é de se adimirar que nem mesmo os predestinados,comentaram ante tanta bobagem.