Pular para o conteúdo principal

Um Breve Alerta Sobre Pecado e Santidade


“Posto que as nossas iniqüidades testifiquem contra nós, ó Senhor, opera tu por amor do teu nome; porque muitas são as nossas rebeldias; contra ti havemos pecado” (Jeremias 14.7). 

Se existe uma coisa que ameaça constantemente a vida do cristão, é o pecado. Pecar quer dizer se desviar da vontade de Deus ou ofendê-lo com nossas atitudes. Apesar de saber disto, ninguém está livre de pecar. Aliás, alguém já disse certa vez, e eu acredito nisso, que nós pecamos desde que abrimos os nossos olhos de manhã ao acordar. Deus, em sua infinita misericórdia, é que nos poupa e tolera muita coisa que fazemos até mesmo sem sabermos que estamos errando.
Nós sabemos que o pecado entrou no mundo através de nosso pai Adão, isto é, depois que ele desobedeceu ao Senhor pela primeira vez, passou a ser natural para o homem pecar. JESUS veio para acabar com essa “bangunça” que estava feita. Através da sua obediência, todo aquele que nele crê, tem o perdão definitivo dos seus pecados. Mas o pecado não foi exterminado, se não o homem agora seria perfeito, porém vemos que ainda hoje nós podemos cair em pecado, logo isto significa que o pecado ainda existe. Em Cristo temos recursos para vencer o pecado, para resistir à tentação. Assim sendo, a vida cristã é uma batalha, uma guerra que travamos todos os dias para permanecermos fiéis ao nosso Deus, e ele assegura que nos dará condições para tanto.
A Bíblia é cheia de exemplos de pessoas que perseveram em fidelidade a Deus, outras que tropeçaram e caíram. Todos nos servem de modelos, para que nós possamos vigiar a nossa vida. Grandes lições nos deixaram e Deus permitiu isso para o nosso bem, para que por meio das histórias deles, aprendamos como devemos ser persistentes rumo a uma santidade moral.
Algumas pessoas dizem: É impossível ser santo nos dias atuais. Eu digo que impossível é uma palavra imprópria, concordo que é difícil, mas impossível não. E ainda que fosse impossível, mesmo assim, o nosso Deus nos faria triunfar sobre a impossibilidade. Há dois mil anos atrás o homem também era homem da mesma forma que hoje ainda é, porém houve pessoas que souberam viver uma vida santa diante de Deus. Hoje, temos o mesmo Deus que elas tinham, a mesma fé que operava no coração delas e o mesmo Espírito que habitava nelas, habita em nós também. Então, o que nos falta? Falta força de vontade. A meu ver, o que impede que muitos crentes sejam santos é a falta de vontade de ser santo. De certa forma o povo de Deus tem caído em uma espécie de comodismo espiritual. É algo grave, que precisa ser tratado nos púlpitos e EBDs. Mais do que isso, precisamos discipular com paixão, para que os novos convertidos possam crescer com essa verdade bem acesa em seu coração. Sei que o ser humano é imperfeito, mas existem muitos problemas em relação à santidade cristã dos quais a culpa é da ausência desse tema no púlpito. Principalmente os jovens são os mais bombardeados com setas malignas, com provocações pecaminosas e raramente encontram o apoio espiritual de que precisam. Eu já presenciei fatos que me levaram a essa conclusão.
Algumas considerações importantes:
a) A mídia e o seu papel na difusão do pecado: Minha mãe costuma dizer que havia uma pureza indiscutível nas crianças da sua geração. Não havia a maldade que presenciamos hoje. As pessoas se reuniam para conversar debaixo de uma varanda, as crianças ficavam brincando no terreiro de casa, minha avó preparava café e a prosa ia até mais de meia-noite. Conforme a tecnologia foi avançando, foram surgindo os veículos de comunicação em massa. Primeiro o rádio. Era uma novidade espantosa, todos ficavam ansiosos para ouvir as novelas, as notícias, as músicas. As brincadeiras iam perdendo espaço. Depois veio a Televisão. Agora o mundo era ouvido e visto claramente, artistas passaram a ser admirados, seus exemplos copiados, escândalos eram noticiados, surgiram programas que tinham o propósito de reunir toda a família em torno daquele aparelho quadrado e de tela de vidro. Aos poucos a sociedade foi perdendo o bom senso. A ousadia começou a chamar a atenção das pessoas, o sexo, as drogas, a famosa liberdade de expressão virou a bandeira defendida. As músicas também foram perdendo sua poesia e pureza para dar espaço à provocação, e sempre em cima de apelos eróticos e sensuais. A partir dos anos 60 começamos a notar um declínio total dos valores da família e bíblicos. Agora quem quisesse ser fiel a Deus e à Bíblia era tido como louco e ultrapassado (como a Prª. Irismar escreveu em um artigo em seu blog - Vivendo pela Palavra). Quando pensávamos que não podia ficar pior, eis que surge a Internet. Uma poderosa ferramenta de comunicação e interação sem precedentes. Agora o mundo todo está conectado, as idéias são facilmente difundidas, e o acesso é rápido e fácil. Também rápido e fácil é o acesso a conteúdos impróprios para nós cristãos.
Eu não sou contra os meios de comunicação, acho que podem ser muito úteis se utilizados de forma correta. Infelizmente, estes veículos contribuíram muito para a difusão do pecado na nossa sociedade, e a transformaram no que é hoje. Principalmente a televisão e a internet, fazem um desastre na vida de muita gente. A banalização do sexo é um exemplo. Hoje é preciso muita paciência pra se poder encontrar uma programação sadia na TV. Filmes, novelas, programas ditos para a família, apelam de todos os meio possíveis para uma sexualidade precoce na mente do ser humano. Ás vezes me parece até que existe uma indústria que faz isso intencionalmente. Por que na maioria dos programas se colocam dançarinas seminuas dançando? Por que em quase todos os programas humorísticos se fazem piadas de duplo sentido? Por que os filmes insistem em mostrar cenas de sexo, até mesmo em histórias bíblicas? Por que as músicas de maiores sucessos falam de traição, adultério e fornicação? Alguém já pensou nisso?
Sem dúvida podemos usar a TV, o rádio e a internet como um meio saudável de entretenimento e diversão, mas não é o que tem acontecido infelizmente. Vou dar um exemplo bem simples. Eu já vi muitos crentes perdendo um tempo precioso assistindo a um programa totalmente desnecessário e impróprio, o Big Brother Brasil (e seus similares). Eu me pergunto: O que um cristão pode receber de bom vendo um programas desses? Nada! Mas quando falamos isso no púlpito somos chamados de radicais, de conservadores. Alguns dizem: O pastor não pode me proibir de ver os programas que eu quero! É verdade, eu nem precisaria proibir, porque os crentes já deveriam estar conscientes de quais programas eles podem ver sem prejudicar sua comunhão com Deus. Mas como ministro do evangelho eu tenho a obrigação de apontar o caminho aos que estão no erro, para que deixem o erro e se voltem para o caminho certo. Outros são viciados em novelas, estas, por sua vez, nada ensinam de bom também. Com a demagogia de mostrar o cotidiano, acabam influenciando as pessoas a praticarem homossexualismo, adultério, fornicação, desonestidade e uma série de outras coisas nocivas. Que diversão as pessoas sentem ao assistir isso? Muitos cristãos estão se enganando a si mesmos.
E o que falar da internet? Quantos sites cristãos estão nos favoritos de muitos crentes pelo mundo a fora? Acredite, poucos. Eu já atendi muitos jovens da minha idade, crentes, freqüentam a igreja, estão nos cultos dando glória a Deus e aleluia, falando línguas estranhas, caindo no chão, tocam no louvor, cantam, mas que na internet visitam sites pornográficos. Muitos até viciados e sem saber como se libertar do vício da pornografia. Perguntei: O que o seu pastor tem pregado? Ah, ele ta fazendo uma campanha de curas e milagres...Outros, lá na igreja estamos aprendendo a prosperar, e outros pior ainda dizem: Eu não sei o que o pastor tem pregado! É uma vergonha! Se foca em tantas coisas fúteis e não se foca a palavra de Deus. Não se ensina santidade na Igreja.
b) O relaxamento espiritual: Um dia desses um irmão me perguntou o que fazer para vencer as tentações que o cercavam. Ele estava meio aflito porque já tinha caído várias vezes no mesmo pecado. E eu lhe fiz a seguinte pergunta: Quem é mais forte, a carne ou o espírito? Ele me disse até sorrindo: É lógico que é o espírito! Não, você está errado. Ele me disse: Como? Respondi: É mais forte aquele que você alimentar mais. Perguntei: Quantas vezes você tem orado? Com que freqüência lê a Bíblia e faz um estudo nela? Já parou para ouvir um hino de louvor a Deus hoje? O irmão ficou surpreso porque essas eram exatamente as coisas que ele não vinha fazendo a muito tempo. Sabemos que temos que fazê-las, mas por relaxamento nosso, não fazemos.
A nossa vida é como um recipiente, se você enche com alguma coisa não terá espaço para outra. Se você se enche das coisas da carne, não terá espaço para as coisas espirituais. E visse, versa. Tem pessoas que passam o dia inteiro sem fazer uma oração, está alimentando a carne e enfraquecendo o espírito. Fica horas na frente de uma televisão, está alimentando a carne e enfraquecendo o espírito. Fica o dia todos vidrado na internet, alimenta a carne e enfraquece o espírito. Quando vai ver não tem vontade de orar, de ler a palavra, até mesmo de ir a Igreja. Por que? Porque a sua carne está prevalecendo. Quando Paulo diz,“enchei-vos do Espírito” (Efésios 5.18), ele está nos mandando encher das coisas relativas ao Espírito de Deus, as coisas espirituais, para que as coisas carnais não venham tomar ocasião em nossa vida. “Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra” (Colossenses 3.2). Davi era um homem usado por Deus, um homem inspirado por Deus, mas por ter se acomodado e não ter ido à guerra como deveria ter feito, ficou em casa ocioso e foi seduzido pelos encantos de Bate-Sebá. Como se diz no popular, “mente vazia é oficina do diabo”. Se nós não estivermos bem ocupados e preenchidos com as coisas de Deus, seremos alvos fáceis para as tentações da nossa carne. Não estou dizendo que devemos ser infalíveis, mas que na nossa caminhada rumo à perfeição, precisamos estar atentos a esses detalhes.
c) Santificados e chamados para ser santos: O apóstolo Paulo nos fala de pelo menos dois tipos de santificação.
“...à igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados para serem santos, com todos os que em todo lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso: Graça seja convosco, e paz, da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo” (1ª Coríntios 1.2,3).
A primeira santificação já está realizada em nós, em nosso espírito, o Senhor nos imputou graciosamente na cruz. A segunda depende de nós, é aquele que buscamos quando nos enchemos das coisas de Deus. Somos chamados para viver uma vida de santidade e reverência.
“que cada um de vós saiba possuir o seu corpo em santidade e honra” (1ª Tessalonicenses 4.4).
“Falo como homem, por causa da fraqueza da vossa carne. Pois assim como apresentastes os vossos membros como servos da impureza e da iniqüidade para iniqüidade, assim apresentai agora os vossos membros como servos da justiça para santificação” (Romanos 6.19).
É nossa responsabilidade, está em nossas mãos. Se quisermos ser santos no corpo assim como no espírito, precisamos nos separar das coisas do mundo assim como nosso espírito está separado para Deus (santificar quer dizer separar). Vamos começar hoje mesmo a avaliar a nossa comunhão com Deus. Como será que ela está? Você tem se relacionado com Deus ou está mais distante dele do que o norte está do sul? Espero que não esteja acontecendo o mesmo que ocorreu com o Jerusalém, a ponto do Senhor os repreender severamente, pois o povo...
“Não escuta a voz, não aceita a correção, não confia no Senhor, nem se aproxima do seu Deus” (Sofonias 3.2).
Eu não preciso nem dizer que quem não dá ouvidos à correção e a disciplina é punido por Deus. Então, cabe a cada um fazer um auto-exame da sua própria vida e ver como a está vivendo.
Que possamos dizer ó Senhor, opera tu por amor do teu nome! Que Deus nos ajude a alcançarmos santidade e fidelidade, para o glorificarmos em nosso viver, para demonstrarmos a nossa gratidão, enfim para termos uma vida sobremodo excelente.
Baixe esse artigo em pdf - http://novareforma.webs.com/alerta.pdf

Ir. Samuel


Samuel.balbino10@gmail.com

Comentários

Pr. Samuel, para o crescimento da sua fé, essa mensagem é uma benção! Também creio que Não É impossível ser santo nos dias atuais o que é difícil para alguns crer nos recursos que Deus deixou disponível para seus filhos, pois se dissermos que é difícil onde ficar a salvação que Jesus no deu?. Sabemos que a nossa geração satanás tem usado outros tipos de recursos para levar os filhos de Deus a pecar, mas uma coisa é certa as nossas escolhas são um reflexos do que ha dentro do nosso coração. precisamos vigiar onde deixamos brechas serem abertas e by= buscar em Deus graças disponível. Fica na paz e uma boa noite . Ah obrigada pela citação do meu artigo.
Pb. Valdinei disse…
que possamos ser livres em Cristo para fazermos sua vontade, vivermos uma vida de renuncias e não deixar o pecado entrar.