30 de outubro de 2010

Posted by Samuel Balbino | File under :
"Elias restaurou o altar do Senhor que estava em ruínas..." (1º Reis 18.30)

Grande exemplo nos deu o profeta Elias. Ele viveu em um tempo muito parecido com o nosso, um tempo cheio de apostasia, cheio de pseuda ortodoxia, e muito apóstata. Podemos ver isso analisando o contexto onde encontramos a vida desse homem de Deus. Israel havia se corrompido espiritualmente por causa de um rei, que ao invés de conduzir o povo na plena retidão dos ensinamentos de Deus, pelo contrário, induziu o povo do Senhor ao erro. Acabe, o rei, casou-se com uma mulher de Sidom, uma terra profana e idólatra. As consequências foram as mais desastrosas para Israel. Por causa dessa mulher o povo foi levado a prostrar-se diante de Baal, os profetas que pregavam a verdade foram mortos e só Elias ainda sobrevivia, mas era perseguido.

O profeta lutou toda a sua vida contra o sistema profano e indulgente de Acabe e Jezabel. Nesses dias foi construído um templo em Samaria em honra ao deus Baal, depois nesse mesmo templo foi erguido um altar, e posteriormente uma estátua para a adoração pública. Sempre um sistema corrupto, idólatra, profano vem acompanhado de luxo, poder e ostentação. Nós temos visto isso hoje de novo, assim como Elias viu em seus dias, assim como Lutero e os outros reformadores viram em seus dias. Hoje vemos um luxo, uma suntuosidade monumental em torno de templos, em torno de denominações que repaginaram com um toque moderno as mesmas histórias de tanto tempo atrás. Vemos o abandono da pura e sã doutrina e vemos a união e mescla com elementos pagãos e sincretistas dentro do lugar que deveria ser chamado de Igreja. 

Se fizermos uma comparação com a atitude de Elias diante do altar de Deus que estava arruinado pelo tempo, podemos dizer em alta voz: Precisamos restaurar o altar do Senhor! O altar é a Igreja, é onde oferecemos nossa vida como sacrfício vivo, santo e agradável, é onde aprendemos, ouvimos e somos edificados. Mas infelizmente, o altar, a Igreja está em ruínas espirituais, está abandonado pelo tempo que não se dedica mais ao estudo da palavra, a meditação fiel e sincera. O altar precisa ser restaurado, reformado, precisa voltar para a glória que tinha antes. Oremos ao Senhor para que nos dê esse espírito reformador que tinha o profeta Elias. Assim como no tempo dele, muitos foram mortos, assim também, hoje, muitos pregadores "morrem" simbolicamente quando suas vozes são desprezadas e não são ouvidas pelo povo, que no lugar disso, prefere os discursos inflamados e cheios de promessas de Acabe e Jezabel. Se quisermos restaurar, reformar o altar do Senhor, precisamos voltar para a Palavra, para a predra angular e perfeita que é Cristo, os seus ensinamentos. Não trazer para o seio da comunhão dos santos elementos profanos, antibíblicos, apóstatas e sincretistas. O apóstolo Paulo disse em sua carta aos Hebreus, "não vos deixeis envolver por doutrinas várias e estranhas" (Hb 13.9). Lancemos fora as várias doutrinas de Acabe e Jezabel e voltemos para a pureza e simplicidade de Cristo (2ª Co 11.3). Reformemos o altar do Senhor que está em ruínas!

Samuel Balbino.

 

28 de outubro de 2010

Posted by Samuel Balbino | File under :











“Cria em mim, ó Deus, um  coração puro, e renova dentro de mim um espírito inabalável” (Salmo 51.10).

Nessa semana especial precisamos de uma reflexão especial.
Estamos comemorando 493 anos de Reforma Protestante.
Estamos diante de uma das maiores quebras de valores cristãos e abandono quase coletivo dos bons costumes e práticas da Igreja.
Essa época de Reforma é um momento de olharmos para dentro de nós mesmos.
É hora de tentar corrigir aquilo que está errado.

»Eu entendo que a Igreja precisa fazer essa mesma oração de Davi.
         Davi orou em um momento de contrição pelo seu pecado;
         Ele reconheceu seu erro adulterando com a esposa de Urias;

»Davi em sua oração pedia um coração puro (porque o dele já não estava mais tão puro assim)
         Davi estava acomodado em casa em vez de ter ido à guerra (2º Sam cap. 11);
         Ele não estava fazendo, portanto, a vontade de Deus;

»A Igreja está deixando de ir para guerra
         A guerra que acontece dentro de nós, contra as nossas vontades (1ª Co. 9.27);
         A guerra que acontece quando sentamos para orar e estudar as escrituras;

»No século XVI as pessoas eram impedidas  de ler a palavra, hoje elas são desestimuladas e são levadas a priorizarem outras coisas.

»Precisamos de um coração puro
         Puro, santo, separado, dedicado a Deus;
        Esse era o pensamento dos reformadores, uma Igreja santa, não corrompida  pelo dinheiro, pela  ganância, pela ostentação;
Uma Igreja onde todos pudessem se edificar e santificar através da Palavra (Jo 17.17);
Se quisermos um coração puro, busquemos na Palavra de Deus (Sl 119.9-11);
Mas o povo de Deus de não quer gastar tempo com a palavra, não está querendo ir a guerra;
Está acontecendo o mesmo que ocorreu com os judeus no tempo de Paulo (At 28.26,27)

»Davi também pediu um espírito inabalável.
         Inabalável quer dizer forte;
         Para que o corpo físico possa ser inabalável ele precisa de boa alimentação e exercício;
         A Igreja também está precisando de um espírito inabalável, forte;
         Forte para não aceitar o pecado;
         Forte para não se deixar levar pelos falsos ensinamentos;
Forte para não misturar Lei cm Graça
É na palavra que está essa força (1ª Jo 2.14/ 2ª Tm 2.1/ 1ª Tm 4.7,8);
“A Igreja precisa de uma nova mente e um novo coração, um coração puro e dedicado a Deus (não às coisas terrenas) e uma mente fortalecida pelo poder da Palavra”
Amém, assim seja!
Ir. Samuel Balbino
(Esboço da mensagen que será pregada hoje às 19:30 na CEAG)

27 de outubro de 2010

Posted by Samuel Balbino | File under :

O temor de Paulo quanto ao evangelho é o mesmo que o de outros apóstolos. Paulo, como qualquer outro missionário, sábia das dificuldades de iniciar uma Igreja. Não estamos falando de "seitas" mas de igrejas. Paulo sofria muito para iniciar seus trabalhos evangelísticos. Em alguns lugares ele foi apedrejado - Listra, em outros foi preso - Filipos, e em Corinto ele chegou a ser levado ao tribunal, apenas porque pregava o evangelho. Depois de tantas lutas, não é de estranhar que ele recomende as igrejas por onde ele passou que tivesse cuidado com "os cães" Fp 3:1-2;

I.  Uma zelosa orientação: Fp 3:1-2; "Guaidai-vos dos cães"
A. Paulo não se referia aos lulus e duques atuais;
B. Isaías nos revela quem são os cães; Is 56:10-11;
C. Eram os falsos pregadores que se infiltravam nas igrejas desviando o rebanho da verdadeira fé; Fp 3:18-19;

II.  O Temor de Paulo para com as igrejas é mencionado:
A. Primeiro no seu discurso aos Efésios em Atos 20:29-30;
B. Depois mais detalhadamente em 2 Co 11:3-4;

III. Olhemos melhor a orientação de Paulo em 2 Co 11:3-4;
A. Ele não se envergonha de revelar que tem um temor;
B. O desejo dele era que a igreja na volta de Cristo estivesse pura! V.2;
    »Pureza de doutrina;
    »Pureza de comportamento dos seus membros;
C. Ele baseava seu temor no acontecimento do Édem;
    »A serpente entrou como amiga;
    »De princípio ela não diz que é uma herege ou está contra Deus;
    »O que ela fe foi trabalhar o "intelecto" ou a mente de Eva;
    »Após fazer Eva cair, ela não age sobre Adão, mas a própria Eva, corrompida, ensina o mau caminho para o marido;
    »Leiamos o trecho: "Sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos"
     Foi o que a serpente fez: Corrompeu o sentido de Eva; "infeccionou a sua fé";
D. "E se apartem da simplicidade que há em Cristo"
1. Note o sistema religioso católico:
   »Adoram a diversos deuses;
   »Trocam as duas ordenanças por uma série de sacramentos;
   »Mudaram a forma original de batismo;
   »Mudaram o sistema de salvação;
   »Mudaram a idéia do pós-morte inventando o purgatório;
2. Note o sistema pentecostal
   »Mudaram o ensino sobre salvação pela graça;
   »Inventaram uma segunda benção;
   »Pessoas estão sempre perdendo ou ganhando a sua Salvação;
  »Coisa mais difícil que existe é ensinar a simplicidade que há em Cristo para membros de seitas: Os   Testemunhas de Jeová; Os adventistas; Pentecostalismo; maomatanismo;

IV. Paulo temia que os pregadores falsos fossem recebidos de "boa mente";
A. Alguns crentes estão como os atenienses querem novidades; At 17:21;
B. A pregação de outro Jesus:
   »O Jesus dos testemunhas de Jeová não é o mesmo que o da Bíblia;
   »A capacidade salvadora de Jesus para os católicos está rebaixada em pedir a ajuda de santos e a    Maria, então ele não é suficiente como a Bíblia ensina;
   »O mesmo se dá com os adventistas;
   »O que Jesus que Paulo pregou não é o ensinado por estas igrejas;
C. O recebimento de outro espírito que não recebestes:
   »Hoje o espírito santo é ensinado de uma forma que nunca então foi ensinado;
   »Há separação em ser salvo e receber a benção do Espírito Santo;
   »A Bíblia ensina que o recebimento do Espírito acontece no momento que o indivíduo recebe Jesus: Atos 19:2; Ef 1:13;
   »A Bíblia ensina que Jesus batizaria com o Espírito Santo sua Igreja; Muitas igrejas hoje ensinam o batismo do Espírito Santo;
D. O recebimento de outro evangelho que não abraçastes:
   »Não existe dois evangelhos como também não existe dois Jesus;
   »O evangelho é um só; Ela fala de Cristo: mostra Cristo; revela-o ao homem;
   »Evangelho é as boas novas de Deus aos homens pecadores;
   »Mas as igrejas tem mudado isso: Hoje temos:
1. a Teologia da Prosperidade;
2. Ela não fala de Cristo. Fala de como ser feliz aqui na terra. O evangelho verdadeiro fala de como ser feliz ao lado de Cristo aqui na terra e lá no céu;
3. Vejamos Gl 1:6-10;
4. Quem queremos agradar. Cristo ou os homens? Devemos definir isso ao para pregar;
5.Pedro disse que o outro evangelho é "um negócio" 2 Pé 2:1-3;

V. Para não ser infeccionada com estes erros é só a igreja estar alerta: Ser bereano: Atos 17:11;



www.palavraprudente.com.br

26 de outubro de 2010

Posted by Samuel Balbino | File under :

É propícia a criação desse Blog com a intenção de reivindicar uma nova Reforma no sistema protestante. Estamos a menos de oito dias de comemorar um fato que marcou para sempre a história do cristianismo. Há 493 anos atrás, um monge chamado Lutero afixa 95 teses na porta da abadia de Wintemberg. A ousadia desse monge inspirou a outros tantos semelhantes a ele, que por não concordarem com as práticas abusivas do sistema Católico Romano, romperam com o cíclo de extorções e mentiras malignas que estavam enganado os mais simples.


Infelizmente a Igreja parece que se esqueceu de todo o esforço que foi feito no século XVI por esses homens, parece que esqueceu quanto sangue foi derramado, quantos foram mortos por defenderem a pureza da palavra. Existem alguns líderes hoje que ressucitaram as indulgências do período medieval, prometendo bençãos e milagres em troca de dinheiro, outros fazem dos cultos uma espécie de distribuição pública de milagres, de amuletos como rosas, sal, enxofre.

A Igreja precisa passar por uma nova reforma, esse é o pensamento que tem gritado em minha mente esses dias, em face de todas as aberrações que tenho presenciado dentro e no meio do povo de Deus.

O foco do Evangelho é levar o pecador ao encontro de Cristo e crer na sua obra na cruz. O que temos visto é um "marketing" em cima de milagres e sinais, que na verdade, estão contribuindo apenas para a divulgação e crescimento (financeiro principalmente) de muitas denominações.

"Porque não estamos, como tantos outros, mercadejando a palavra de Deus" (2ª Coríntios 2.17).