19 de fevereiro de 2012




Para encerrar essa série acerca da salvação infantil quero fazer um resumo dos itens que foram abordados aqui. Cabe a qualquer um que ler julgar se são válidos os meus argumentos, porém que levem unicamente em consideração aquilo que claramente se vê nas Escrituras. O propósito de toda a série é mostrar a improcedência da tese de que todas as crianças já nascem salvas. Eis os argumentos.

ESTA TESE É CLARAMENTE FRUTO DA INFLUÊNCIA DO PENSAMENTO HUMANISTA.

A supervalorização do homem e o sentimentalismo excessivo levam a desconsiderar a liberdade da soberania de Deus no exercício de sua justiça.

 A DEPRAVAÇÃO TOTAL NO QUAL SE ENCONTRA TODO O GÊNERO HUMANO PROVA SER IMPOSSÍVEL QUE ALGUÉM NASÇA SALVO.

A Bíblia é enfática ao afirmar que todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus (Rm 3.23). De onde facilmente se conclui que não exceção quanto a raça, sexo ou idade. Mas absolutamente todas as pessoas da terra nascem pecadoras, e consequentemente perdidas.

A SALVAÇÃO OCORRE ATRAVÉS DA FÉ NA MORTE SUBSTITUITIVA DE JESUS, EIS AÍ UMA CLARA EVIDÊCIA PELA QUAL OS INFANTES NÃO PODEM SER SALVOS ANTES DE SEREM CAPAZES DE EXERCER FÉ.

 A concessão de fé é dada unicamente aos que atingem uma idade onde já possuam discernimento, pois não vemos nada nas Escrituras a respeito de crianças ou bebês exercendo fé para a salvação.

ESSA TESE COMO APRESENTADA INTRODUZ UM NOVO CONCEITO DO QUE SEJA SALVAÇÃO.

O homem nasce perdido, e necessita ser salvo por meio da intervenção de Deus ao se revelar a ele, regenerá-lo, convencê-lo e assim conduzi-lo a conversão. A tese de que as crianças nascem salvas implica que todos os seres humanos já nascem salvos, uma vez que ninguém nasce adulto. Isso contradiz  o que já foi exposto acerca da depravação total e carece de base bíblica, pois como já tem sido demonstrado, a Bíblia apresenta o homem antes da salvação como perdido e condenado a ira Divina, não como um piedoso que perde esta virtude a medida em que cresce.

CRIANÇAS NÃO PRECISAM PRATICAR UM ATO PECAMINOSO PARA SÓ ENTÃO SEREM PASSÍVEIS DE JUIZO.

Entende-se que se uma criança ainda não cometeu nenhum pecado, logo não pode ser condenada por algo que não fez. No entanto, esta compreensão é falha em não enxergar que existe uma culpa que todos nós carregamos independentemente dos nossos erros pessoais – A culpa de Adão. O primeiro homem a ser formado foi constituído o representante de toda a sua posteridade. A sua desobediência tornou-se nossa também, a sua queda, foi nossa queda, e a sua culpa, nossa culpa. Por causa de Adão todas as criaturas sofreram consequências. O erro dele recai sobre os seus descendentes como herança. Portanto, ainda que uma criança não tenha cometido nenhum pecado pessoal, ela pecou em Adão e por isso é tão perdida e merecedora do juízo quanto qualquer adulto que perecerá pela culpa adâmica e por seus próprios pecados eventuais. 

NEM MESMO OS ELEITOS NASCEM SALVOS. TÃO POUCO SÃO REGENERADOS PREVIAMENTE CASO VENHAM A MORRER ANTES DE ATINGIREM A IDADE DA RAZÃO. O MAIS CORRETO É QUE AS CRIANÇAS ELEITAS SÃO PRESERVADAS DA MORTE ATÉ QUE ALCANCEM DISCERNIMENTO SUFICIENTE PARA ENTENDEREM E REALIZAREM PROFISSÃO DE FÉ.

O próprio Calvino acreditava na regeneração prévia para crianças eleitas que morrem antes da idade da razão. Porém na total ausência de bases contundentes para tal afirmação, segue-se que o melhor raciocínio para a questão é o da preservação soberana que Deus exerce sobre os seus, zelando por eles de modo que todos cheguem a idade adequada para compreenderem o evangelho e possam exercer a fé. Isto é dito de claramente na afirmação de São Pedro quando assevera : “ ...ele (o Senhor) é longânimo para convosco (os eleitos), não querendo que nenhum pereça (não seja salvo), mas que todos cheguem ao arrependimento” (2ª S. Pedro 3.9). Aqui subentende-se que para se arrepender de algo é necessário ter idade suficiente para tanto. E também vemos que é a vontade de Deus que todos cheguem a essa etapa – O que não é possível caso um eleito morra ainda bebê.


Ecclesia reformata, et semper reformanda!

1 comentários:

Joaquim José Tinoco de Oliveira disse...

Amigo Samuel Balbino,

O conteúdo de seus escritos evidenciam, além de tudo que já tenho afirmando nos diversos comentários que fiz na UBE, UM LAMENTÁVEL DESCASO PARA COM OS ENSINOS DE JESUS CRISTO e deixa muito clara a sua preocupação em reproduzir com fidelidade os ensinos de JOÃO CALVINO.

Prezado amigo, para que sua opinião ganhe força, é preciso que suas justificativas CONVENÇAM. Nada obstante, NÃO PODE HAVER CONVENCIMENTO ONDE A INCOERÊNCIA PREDOMINA. Eis o que se observa com frequência nos seus esclarecimentos, que além da incoerência predominante, sempre omitem pontos capitais.

Por outro lado, a fuga do debate e ignorar o contraditório desafiado por vc mesmo em sua primeira postagem da série, NÃO AJUDA, NÃO CONSTRÓI, e pior do que isso EVIDENCIA A INTENÇÃO DE IMPOR A QUALQUER CUSTO SUA POSIÇÃO e isso nunca foi saudável, sobretudo quando se trata de assuntos sagrados como é o caso do tema em questão.

Lamentavelmente, num universo de mais de 15.000 blogueiros, esse amigo vem encontrando resistência, apenas na minha posição.

Tal circunstância leva-me, a partir de hoje, a tratar do assunto em meu Blog, onde aliás, já foi alvo de intensa discussão tempos atrás, porém em face da importância desse assunto, sobretudo, para a perfeita compreensão dos propósitos sagrados, e maior êxito na pregação do evangelho, me parece oportuno intensificar o SADIO DEBATE.

Para tanto vou buscar a participação de teólogos, outros irmãos e do máximo de blogueiros possíveis.

QUERO INSISTIR COM O DESAFIO QUE JÁ LHE FIZ: (considere, todavia, o aspecto positivo desse desafio, que é feito visando tão somente o enriquecimento do ensino sagrado, e o faço com todo respeito e consideração a esse amigo)

ASSIM:

1 - GOSTARIA QUE ME APONTASSE PASSAGENS BÍBLICAS ONDE UM GRANDE SERVO DO PASSADO( DAVI, SALOMÃO, MOISÉS, ETC, ) TENHA REGISTRADO NO ESCRITO SAGRADO UM PEDIDO DE PERDÃO A DEUS, OU QUALQUER PREOCUPAÇÃO OU RECOMENDAÇÃO A RESPEITO DOS PECADOS DE ADÃO;

2 - VC CONCORDA OU NÃO, QUE SE ALGUM SER HUMANO CUMPRISSE TOTALMENTE A LEI, O TAL SERIA SALVO?

3 - DEMONSTRE NA LEI, ALGUM SACRIFÍCIO PELOS PECADOS DE ADÃO;

4 - SE DEUS NÃO RECOMENDOU A MOISÉS QUALQUER SACRIFÍCIO, PELOS PECADOS DE ADÃO, PORQUE NÃO O FÊZ? SERÁ QUE DEUS SE ESQUECEU DE TÃO IMPORTANTE CONDIÇÃO PARA A SALVAÇÃO SE É QUE É DE FATO TÃO IMPORTANTE ASSIM, JÁ QUE O CUMPRIMENTO DA LEI GARANTIRIA A SALVAÇÃO?

Me parece oportuno, obter do amigo sua interpretação sobre os textos sagrados de JOÃO 11.25 e 26, a meu ver, mais um forte esclarecimento, além de tantos que já tenho apresentado, que robustece a posição que defendo.

Digo por fim que os ensinos de Jesus cristo tem para mim importância absoluta, cujas palavras prevalecem inclusive sobre os ensinos dos apóstolos naquilo que por ventura ocorra divergência( porém não existe) tanto mais, sobre os ensinos de outros grandes estudiosos que se firmaram na história.

Na expectativa de cultivar o sadio e construtivo debate,

um forte abraço