16 de janeiro de 2012

Posted by Samuel Balbino | File under : , , ,




Retomando a série sobre a salvação infantil e ainda refutando alguns versículos muito utilizados para provar que todas as crianças quando morrem estão automaticamente salvas, hoje vemos analisar mais um texto mal compreendido.

“Respondeu ele: Quando a criança ainda vivia, jejuei e chorei, pois dizia: Quem sabe se o Senhor não se compadecerá de mim, de modo que viva a criança? Todavia, agora que é morta, por que ainda jejuaria eu? Poderei eu fazê-la voltar? Eu irei para ela, porém ela não voltará para mim” (2º Samuel 12.22,23).

O argumento com base nesse versículo é de que a criança, fruto do adultério entre Davi e Bate-Seba, ao morrer estava salva, uma vez que o próprio Davi admite que irá se encontrar com ela. O que teoricamente sugere que o infante esteja no céu, uma vez que se o Rei Davi é considerado como alguém salvo, obviamente a criança com a qual ele afirma que há de se reencontrar após a morte também o seja.

Felizmente os que usam de tal argumento demonstram uma total ignorância no que diz respeito à exegese Bíblica. Simplesmente ignoram o contexto histórico e escriturístico da passagem, e querem forçar o texto a dizer o que ele não diz – Prática muito comum àqueles que desesperadamente buscam subterfúgios para respaldar uma teologia que supervalorize o homem.

Segundo nossos opositores a expressão “Eu irei para ela” implica em dizer que a criança estava agora no céu, e que Davi reconhece isso quando diz que um dia também irá para o mesmo lugar, pois se considerava uma pessoa salva.

A isto facilmente respondo que simplesmente essa interpretação está incorreta, pois o conceito de salvação no sentido espiritual não aparece no Antigo Testamente, salvo de forma profética e poética apontando exatamente para o tempo neotestamentário, isto é, com o surgimento do Messias.

Os judeus não tinham uma “soteriologia” que abrangesse o futuro espiritual. Acreditavam sem dúvida na ressurreição, que se realizaria algum dia, porém outras escolas rabínicas contemplavam somente a vida aqui e agora (dessas escolas descende a seita dos Saduceus do tempo de Jesus). De modo geral todos criam que ao morrer todos os seres humanos iam para o Sheol, um lugar tenebroso e sombrio (Gn 37.35; Jó 3.17-19; 7.9; Sl 88.5; 143.3; Pv.1.12; Ec 9.10; Is 5.14; 38.18; Hc 2.5). No Sheol não havia memória, sentimentos, lembranças, nem coisa alguma que remeta ao mundo dos vivos.

Assim sendo, Davi não estava afirmando que reencontraria a criança nos céus, e sim que também se uniria a ela no além através da morte. Esta linguagem é muito comum em outras passagens.

“Expirou Abraão; morreu em ditosa velhice, avançado em anos; e foi reunido ao seu povo” (Gênesis 25.8).

“Chegando-se, pois, o tempo da morte de Israel, chamou a José, seu filho, e disse-lhe: Se agora tenho achado graça em teus olhos, rogo-te que ponhas a tua mão debaixo da minha coxa, e usa comigo de beneficência e verdade; rogo-te que não me enterres no Egito, Mas que eu jaza com os meus pais; por isso me levarás do Egito e me enterrarás na sepultura deles. E ele disse: Farei conforme a tua palavra” (Gênesis 47.29-30).

“...Eu vou pelo caminho de todos os mortais...” (1º Reis 2.2).


A idéia de se “reencontrar” com os que se foram é meramente uma forma de dizer que também se experimentará a morte. Mais uma vez os defensores do bem-estar humano se equivocam terrivelmente.

Ecclesia reformata, et semper  Reformanda!



2 comentários:

Antonio Batalha disse...

Não é o que nós escrevemos mas o que vivemos que vai ter impacto com o semelhante, se realmente deseja atingir o coração do ser humano, escreva o que vive, a realidade, seja honesto diante de si mesmo.Você tem todas as caracteristicas de Jesus Cristo, então haja como Jesus iria agir, ame da mesma forma, porque a graça gloriosa de Jesus está em si.Este é o meu comentário para si. Eu te amo em Cristo, e meu desejo é que sejas uma ferramenta nas mãos do Savador. Se desejar, seja meu amigo na verdade que Liberta. Um obrigado, e um abraço.

Adilson Marcos - blog Postura Biblica disse...

Se as pessoas simplesmente se submetessem as escrituras.. muitas heresias deixariam de existir