27 de fevereiro de 2011

Posted by Samuel Balbino | File under : , ,


Que nós só resistimos ao pecado por medo de ir para o inferno.

O exemplo que citei anteriormente é bem objetivo. Se alguém insinua que se acreditasse que está plenamente e eternamente salvo, então iria se entregar ao pecado sem medir conseqüências, esta pessoa, em minha opinião, professa uma fé mentirosa, caloteira, interesseira e dissimulada. Talvez alguém diga assim: Eu não sou interesseiro, não estou me esforçando para ser fiel por ter medo de perder a salvação. Muito bem, se isto é verdade, então porque sempre é esse argumento pobre que primeiro levantam os inimigos da doutrina da segurança eterna da salvação? Deveriam deixar de usá-lo para que eu realmente acredite. Eliminem de suas armas contra a sã Doutrina. Defendam a sua interpretação, mas não sejam hipócritas. Tenho absoluta certeza que isto será muito difícil para alguns, pois eles ainda estão escravizados por inúmeros pecados, e na verdade, apenas dissimulam, aparentam que são convertidos.
Eu, sinceramente, não consigo acreditar que alguém que nega que esteja salvo para sempre, serve a Deus por gratidão e amor. Me desculpem mas não consigo. Sempre vejo essa tentativa de anular o poder de Deus como uma espécie de “auto-segurança”. Onde o que garante que estou salvo são as minhas obras, as minhas muitas obras. Quer dizer que posso confiar mais em mim do que em Deus? Eu não confio que Deus pode me guardar salvo para sempre, eu é que preciso me esforçar, pagar o preço para poder ter certeza de que vou para o céu? Isto é absurdo, é o homem querendo ocupar o lugar de Deus.
A Bíblia nunca passou a idéia de que os eleitos de Deus precisam penar muito para poder assegurar a sua própria salvação. Aqueles que dizem e vivem isto estão procurando meios de se sentirem seguros em si mesmos e não confiam em Deus. Vou mostrar o porquê.
Porque eu sei em quem tenho crido, e estou certo de que ele é poderoso para guardar o meu depósito até aquele dia” (2ª Timóteo 1.12).
Paulo tinha a certeza de que Deus o preservava. Ele acreditava no poder de Deus. Há pessoas que hoje que não acreditam; é como se dissessem: Não, Deus não tem tanto poder assim, eu tenho que manter a minha salvação através dos meus esforços! Ou isto, ou então elas imaginam que Deus não está nem ai para elas, até o ponto de deixá-las se destruírem por Si mesmas. É um Deus muito estranho esse que os arminianos criaram.
Deus não permitirá que nenhum dos seus eleitos pereça e vá para o inferno. Ele lhes assegura eterna salvação.
“E a vontade do que me enviou é esta: Que eu não perca nenhum de todos aqueles que me deu, mas que eu o ressuscite no último dia” (João 6.39).
Alguns insistem em dizer que Deus não é capaz de realizar esta vontade. Ora, isto é algo muito sério, dizer que Deus não é capaz de fazer prevalecer sua vontade porque se submete a vontade do homem. Assim sendo que credibilidade pode ter esse Deus? Uma coisa tão importante como  a salvação e ele se submete ao homem? Sinto muito, mas este não é o meu Deus,  nem o da Bíblia também.

Pr. Samuel 
______________________________________________________
Continua na próxima postagem

26 de fevereiro de 2011

Posted by Samuel Balbino | File under :
Fiquei muito contente pela indicação feita pela minha amiga e irmã em Cristo, Irismar. É interessante porque, semelhantemente a ela eu não era muito chegado em leitura. Apenas com o tempo, conforme vamos amadurecendo, é que fui tomando gosto e descobri o prazer de ler. Tenho um gosto meio excêntrico, digamos assim. Mas será interessante compartilhar com os irmãos.

De acordo com as regras eu tenho que responder a 3 (três) perguntas e indicar 10 amigos. Então lá vai.

1) Existe um livro que você leria várias vezes sem se cansar? Qual?



Alguns podem pensar: O quê? Este livretinho? São nas coisas menores e mais simples que encontramos grandes revelações. ELEIÇÃO de Charles H. Spurgeon, foi o primeiro texto reformado que eu li. Confesso que depois desta leitura Deus despertou meu coração para as verdades do evangelho. É um pequeno livro com uma grande mensagem. Confesso que não me canso de relê-lo, parece que sempre descubro algo novo nele. A liguagem também é tão simples e didática que é como se o próprio Spurgeon estivesse conversando comigo numa tarde de sábado sentado na varanda da minha casa.

2) Se você pudesse escolher apenas um livro para ler o resto da sua vida, qual seria?



Eu não poderia colocar outra opção que não a inerrante palavra de Deus, A Bíblia. Sobre este livro tenho construído minha vida. É o meu alimento diário, a minha companhia em momentos de solidão, o meu consolo em momentos de angústia, é a voz de Deus falando ao meu coração.

3) Indique três dos seus livros preferidos.



OS TRADUTORES NA HISTÓRIA, é um leitura apaixonante sobre este grande  personagem cultural, o tradutor. O livro é uma compilação de textos de diversos especialistas abordando as grandes façanhas dos tradutores ao redor do mundo e a sua importância na divulgação de valores, conhecimento e religião. Como era de se imaginar a obra conta com diversas páginas relatando as traduções bíblicas e faz uma síntese do trabalho de importantes personalidades cristãs com  Jerônimo, Lutero, Calvino, Jan Huss, Ufila, o missionário James Evans, além de relatar as traduções de outras religiões como o judaismo, islamismo e budismo. Também aborda os gêneros, tipos e linguagens empregada em muitas das obras traduzidas. Não é um livro de autoria cristã, mas é muito interessante e aprendi bastante com ele.


O CASTELO DE OTRANTO é uma obra clássica da novela gótica francesa, um estilo que se popularizou a partir do século XVIII. Foi de literaturas com esta que se originou a fascinação pelo inexplicável, pelo medo do desconhecido, pelo contraste entre a vida e a morte. O livro conta a história de um reino e de seu príncipe que se vê atormentando por aparentes manifestações sobrenaturais.


NASCIDO ESCRAVO OU "DE SERVO ARBÍTRIO" (título original). Escrito por Lutero, é um livro que eu não poderia deixar de indicar. Trata-se de uma resposta  a um dos maiores intelectuais do século XVI, Erasmo de Rotterdan. Neste livro Lutero rebate todos os argumentos utlilizados por Erasmo para provar que o homem possui livre arbítrio. É de fácil leitura, muito agradável e muito esclarecedor. Recomendo pois os mesmos argumentos usados por Erasmo continuam sendo utilizados hoje na tentativa de anular a soberania de Deus. Assim sendo é um livro indispensável. Já estou lendo pela segunda vez.

Agora quero revelar os meus indicados ao MEME Literário, e estou ancioso para conhecer o gosto literário de cada um.


25 de fevereiro de 2011

Posted by Samuel Balbino | File under : , , ,


Esta afirmação é geralmente muito mal vista pela maioria das pessoas. Dizem alguns: Ah, se eu já estou salvo mesmo então vou beber, me prostituir, me drogar, vou cair na “gandaia”, afinal já estou salvo mesmo. Com este pensamento condenam veementemente várias doutrinas Reformadas como a predestinação e a perseverança dos santos.
Mas será que realmente este argumento está correto? Será que não existe evidências de que a frase “uma vez salvo, salvo para sempre” tem respaldo bíblico?
Confesso que seria necessário muito mais palavras para discorrer sobre este assunto, que, aliás, vem causando polêmica entre calvinistas e arminianos a quase 500 anos.
Basta analisarmos este pensamento que muitos usam para desacreditar a doutrina da predestinação e da perseverança dos santos.
“Ora, se já estou salvo, então posso me entregar aos prazeres da vida, pois de qualquer maneira a salvação me está garantida”.
Os arminianos sabem que todo calvinista sincero, e que entendeu o Evangelho de fato e verdade, nunca incentivou às pessoas a desenvolverem tal pensamento. Se é pregada a segurança eterna, também é pregado o novo nascimento e a regeneração do homem. Na verdade o que os defensores da salvação perdível querem é levar ao extremo o que cremos, nós calvinistas, para tornar o que ensinamos como sem nenhuma credibilidade e legitimidade bíblica.
Atentando bem ao pensamento arminiano podemos concluir:
1.Que a nossa salvação deve ser assegurada por nós mesmo;
2.Que só nos esforçamos por sermos santos diante de Deus e resistir ao pecado por medo de ir ao inferno;
3.Que Deus teve uma parte em nossa salvação, mas o restante é conosco;
4.Que Deus nos deixou entregue a própria sorte.
Que a nossa salvação deve ser assegurada por nós mesmo:
“Salvação, tanto no Novo quanto no Antigo Testamento está na ordem da fé e da obediência (...) Obedece a Cristo vai pro Céu, não obedece a Cristo, vai perecer e vai pro inferno” (Pr. Silas Malafaia em uma de suas preleções).
De acordo com o trecho da pregação feita pelo pentecostal Silas Malafaia, a nossa salvação está inteiramente condicionada à nossa obediência ou não a Cristo. Assim sendo, nós somos os responsáveis por nos mantermos ou não dentro da qualidade de salvos. A questão é: Se eu pecar eu perco a minha salvação. Então todos os dias estamos nesse ping-pong, estou salvo, estou perdido. Todos nós pecamos todos os dias, e aliás, até mesmo pecamos sem saber. Daí alguns argumentam: Mas não é qualquer pecado que faz o cristão perder a sua salvação! Gostaria então de saber qual é o pecado que torna possível eu perder a minha salvação para que eu possa me prevenir contra ele, vou cometer somente os que não podem me fazer perder a vida eterna. Isto é absurdo.
A salvação não está condicionada a nossa obediência, se não for assim todos nós estamos perdidos e ninguém irá pro céu. Quem pode dizer que não pecou já hoje? Pensar dessa forma é anular o poder de Deus ou dizer que ele é muito indiferente a nós, pois nos deu uma salvação que a qualquer momento podemos perdê-la irremediavelmente.
A obediência a Deus é uma consequência da salvação, pois o homem em Cristo é feito nova criatura, agora ele recebeu a mente de Cristo, recebeu o Espírito Santo, ele foi regenerado. Não significa que ele não possa pecar, ainda estamos em um corpo corrompido pelo pecado, que se inclina para as coisas do pecado, porém uma vez transformado o cristão não volta mais permanentemente para as suas atitudes de quando ele ainda estava morto em delitos e pecados.
“Não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbedos, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus. E tais fostes alguns de vós; mas fostes lavados, mas fostes santificados, mas fostes justificados em nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus” (1ª Coríntios 6.9-11).
Todo cristão é “ex alguma coisa”. Deus o tirou dos mais terríveis pecados e o regenerou, dizer que ele se “desrregenera” é dizer que a obra que Deus fez não foi eficaz, que Deus falhou. Se uma pessoa que diz que se converteu, depois de um tempo abandona a comunhão dos santos e volta pros mesmos pecados de outrora e morre neles, então tal pessoa evidenciou que nunca foi salva, nunca foi regenerada, nunca teve um encontro com Deus, porque os que foram eleitos e salvos quando pecam se arrependem, se sente constrangidos e confessam seus pecados ao Senhor.
É o próprio Deus quem assegura a nossa salvação, mesmo que por algum instante sejamos infiéis.
“Se somos infiéis, ele permanece fiel; porque não pode negar-se a si mesmo” (2ª Timóteo 2.13).
O Senhor JESUS nos assegurou salvação eterna quando disse:
As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem. Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará das minhas mãos” (João 10.27,28).
O texto é bem claro, não há possibilidade da ovelha ser tirada das mãos do pastor, dizer o contrário é chamar JESUS de mentiroso. É justamente o que muitos têm feito por ai. Dizem que o diabo ou pecado podem nos arrebatar das mãos do Nosso Senhor, desta forma então “ninguém” não deveria ter aparecido nesse versículo.
Agora eu questiono sem medo algum a conversão daqueles que acusam a doutrina da segurança eterna de ser falsa e herética. Será mesmo que vocês são salvos? Vocês já se arrependeram de todos os seus pecados hoje?
Outra coisa que quero questionar é a verdadeira devoção desses “cristãos inseguros”. Se vocês dizem que se acreditassem que estão salvos eternamente iriam cair na gandaia, se entregar aos prazeres da vida, porque afinal já estão salvos mesmo, então vocês não amam a Deus de fato! Não o servem por amor e gratidão, mas apenas por medo de ir ao inferno! Vocês não foram mudados e ainda permanecem nos seus delitos e pecados, porque o salvo, aquele que foi feito nova criatura não precisa estar debaixo de ameaças para ser fiel e obediente.
Vou dar um exemplo prático. Um funcionário de um banco que lida com grandes quantias de dinheiro todos os dias é monitorado por uma rede de segurança composta por câmeras em diversos ângulos que monitoram tudo o que ele faz. Ele não se atreve a roubar o banco. Podemos dizer que ele honesto? Se for retirado todo o sistema de monitoração eletrônica e ele permanecer sem roubar, ai sim podemos dizer que ele é honesto. Mas se ele começar a esconder e surrupiar o dinheiro do banco aproveitando-se de que não há ninguém o monitorando, então esse funcionário nunca foi honesto, ele apenas não roubava porque estava sob a ameaça de um instrumento punitivo. O mesmo vale para aqueles que se dizem “cristãos”, mas só não pecam porque têm medo de ir pro inferno e não porque são gratos a Deus e o amam.
Em minha opinião, é muito duvidosa a conversão de pessoas assim.

Pr. Samuel
__________________________________________________________
Continua na próxima postagem

24 de fevereiro de 2011

Posted by Samuel Balbino | File under : , ,


Um dia um Pai recebeu uma notícia muito triste, uma notícia que nenhum Pai gostaria de receber. De repente chega um dos empregados e diz: 
- É melhor sentar, pois não trago boas notícias! O Pai franziu a testa e logo sentou-se:
- O que aconteceu? Perguntou temendo o pior. É o sobre o seu filho, Senhor.
- Meu filho? Exclamou o Pai.
- Sim Senhor, aconteceu uma coisa terrível com ele, sinto muito. Disse o empregado em um tom muito comovente
.- Mas onde ele está? Me leve até lá pra que eu possa ajudá-lo!
- Eu receio que seja muito tarde Senhor, infelizmente ele faleceu. Falou o empregado.
Quando ouviu estas palavras o Pai levou as mãos ao rosto e curvando a cabeça se colocou a chorar. As lágrimas escorriam quentes por sua faça robusta e marcada pelo tempo. E depois de respirar fundo perguntou:
- Mas em nome de Deus, o que aconteceu com ele?
- Seu Filho como sempre, Senhor, estava conversando com algumas pessoas na rua sobre suas idéias, aquelas que ele dizia que são necessárias pra termos um mundo melhor, quando algumas pessoas que o ouviam não gostaram de algo que ele disse e partiram pra cima dele.
- E ninguém o ajudou?
Perguntou o Pai.
- Não Senhor, os que estavam a favor dele quando viram a cena simplesmente fugiram.
- O que fizeram com ele?
- Senhor, ele está bastante desfigurado, os homens arremeteram contra ele, bateram, deram socos, pontapés, cuspiram nele, lhe acertaram com duas estacas de madeira e ainda retiraram sua roupa em plena rua, O chamaram de mentiroso, de fanático, de lunático, disseram até que ele era um bastardo, que não era seu filho legítimo. Depois de tudo isto, o deixaram lá morrendo aos poucos, quando cheguei já era tarde de mais, então recolhi seu corpo e vim lhe trazer essa péssima notícia.
O que você faria se estivesse no lugar desse Pai? Existem 3 opções possíveis:

1ª Exigir justiça:  Ir a polícia, prestar queixa de homicídio. A polícia faz a investigação, prende os culpados, eles são julgados e pagam por seu crime na cadeia - Isto é justiça.

2ª Fazer vingança: Como o Pai é uma pessoa de poder e influência em sua cidade, ele  pode contratar alguns pistoleiros que de maneira muito dissimulada, encontram esses homens que mataram seu Filho é os mata também, de maneira fria e dolorosa, e assim vinga a morte de seu Filho. - Isto é vingança.
3ª A terceira opção prefiro que vocês descubram na própria atitude do Pai. Após isto o empregado disse:

- Senhor, estou ligando para a polícia. Falou enquanto tirava o telefone do gancho.- Coloque isso de volta no lugar! Exclamou o Pai.

- Mas Senhor, temos que da parte de algo assim. Retrucou o empregado com voz de espanto.
- Não. Não vou fazer isso. Disse o Pai.

- O Senhor, então, prefere que eu contrate um pistoleiro para vingar seu Filho?- De jeito nenhum! Isto também não farei!
- Então quais são as suas ordens sobre o assunto, meu Senhor? Perguntou o empregado confuso.
- Leve-me até essas pessoas que fugiram enquanto meu Filho era morto, e também àquelas que o mataram. Tenho muito o que lhes dizer.
Já na presença dos assassinos e dos que fugiram diante do crime, o empregado esperava uma atitude enérgica do seu Senhor, quando ele disse as seguintes palavras:
- Vocês mataram meu filho!  E não ajudaram enquanto ele morria. Vocês tiraram algo muito precioso de mim, vocês me causaram muita tristeza. Mas a partir de agora eu digo que todos vocês são meus filhos. Esta agora é sua casa, tudo que é meu, é de vocês. Também agora, todo o amor que tenho pelo vosso irmão que morreu, direciono a vocês também. Eu perdi um filho, mas em compensação, ganhei muitos outros. Eu perdoou o que vocês fizeram. Vocês são agora a minha familia!
Este Pai não quis justiça e não fez vingança. Ele agiu com GRAÇA! Aquelas pessoas não eram dignas, mas receberam um favor muito grande. Elas cometeram coisas terríveis, mas receberam perdão, eles receberam Graça!

Deus é este Pai, e nós somos os assassinos, por nossa causa JESUS foi torturado e morto. Mas Deus não nos puniu, ele nos adotou como filhos. Nos deu sua graça, nos deu aquilo que não mereciamos. Devemos ser gratos por todas essas coisas. Se você ainda não ouviu o perdão que Deus te concede, pare por um momento e ouça, ele te diz estas mesmas palavras: Eu te perdoou! Você agora faz parte da minha familia! Acredite nisso. Deus tem essa Boa Notícia para você!

"Nisto está o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou primeiro" (1ª João 4.10).

Pr. Samuel

23 de fevereiro de 2011

Posted by Samuel Balbino | File under : , , ,



“Justificados, pois, pela fé, tenhamos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo, por quem obtivemos também nosso acesso pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e gloriemo-nos na esperança da glória de Deus” (Romanos 5.1,2).
Se existe uma coisa que muito nos alegra é a certeza de que estamos na verdade!
Quantas pessoas passaram 20, 30 anos de crente, procurando serem felizes e só se decepcionaram em suas denominações.
Eu passei 8 anos da minha vida achando que era feliz.
Não somente eu, milhares de pessoas estiveram na mesma situação.
Eu me lembro que muitas vezes no domingo de manha eu ia a Igreja, mas meu coração doía, minha mente estava cansada, exausta do peso e do fardo que era obrigado a carregar.
Meu irmão, isto é a pior coisa que pode acontecer a um cristão.
Você sabe o que é não ter prazer de estar na casa de Deus? Não se sentir feliz de acordar de manha cedo e dizer: Oba! Vou a igreja! Pelo contrário, já no dia anterior eu ficava pensando: Poxa, amanha é dia de ir a Igreja.
Existem pessoas assim ainda hoje, que não têm mais alegria de congregar, não sentem prazer de estar na casa de Deus.
Agora, por que isto está acontecendo?
Porque a Igreja é o lugar onde elas deveriam encontrar consolação, amor, paz, mas ao invés disso, elas chegam e se deparam com morte, com condenação, com acusações, com sermões que mais parecem uma surra do que uma exortação vinda de Deus.
Vou dizer uma coisa, os grandes responsáveis pela tragédia na vida de muita gente que está dentro das igrejas hoje, são os líderes religiosos.
São esses pastores mercantilistas que pastoreiam o bolso e não a alma das ovelhas.
São esses tais “apóstolos” que se engrandecem à vista das pessoas, passando a idéia de que são super-homens, super-poderosos.
Quem vê de fora acha muito bonito, mas que experimentou essas “malandragens” e conviveu com elas sabe que um dia a ficha cai.
O oba-oba um dia termina.
Só quando você se depara com uma pregação como esta, uma mensagem livre de adornos, livre de esoterismo evangélico, livre de lei, livre de sabedoria humana, uma palavra que é segundo Deus e não segundo as intenções dos homens, é que você pode verdadeiramente ser feliz.
Eu digo isto por experiência própria!
Não estou aqui pra te enganar, eu vivenciei o que estou dizendo.
Me lembro que logo quando Deus me revelou sua graça, eu senti uma alegria, uma paz, eu me senti como aquela pessoa que vê a tão sonhada luz no fim do túnel.
Depois de anos de escravidão, de votos, de subidas a montes, de sacrifícios, de vigílias, de pagar o preço eu finalmente estava diante do genuíno evangelho de Cristo.
Quando eu cheguei na graça eu e minha família estávamos no fundo do poço espiritual.
Desiludidos de tudo, não acreditávamos mais nas pessoas, não acreditávamos que pudesse existir pessoas sérias pregando a Bíblia, estávamos tão desacreditados que pensávamos que todo mundo estava ai por interesse, por ganância.
Cansados de tanto sacrificar e não vê nada acontecer.
Só pra dar uma idéia.
As seitas ai falam muito em prosperidade em suas reuniões.
Durante todos os anos em que estive na seita, nós corremos em busca de prosperidade.
Fizemos tudo que os falsos pastores ensinavam: ungíamos com óleo, fazíamos corrente, fazíamos votos, sacrificávamos, estávamos todos os dias na seita, mas nada disso adiantava.
Parecia que quando mais orávamos, mas sacrificávamos, mas assombrações nos apareciam.
Meu pai estava desempregado, estávamos passando necessidades terríveis, e o pouco que se conseguia era depositado na seita (porque assim eles ensinavam).
Quando viemos para a graça de Deus, foi muito difícil.
A igreja era muito longe, nós pegávamos o ônibus e ainda caminhávamos 2Km à pé.
Não tínhamos dinheiro pra pegar duas conduções.
Só íamos no domingo, e quando acabava o culto já ficava com saudade esperando o próximo chegar.
Eu como era estudando na época, por causa da meia passagem as vezes ia de manha e de noite, porém meus pais só iam no domingo à noite.

Lembro que em dia de chuva nós chegávamos lá todos molhados, porque no caminho não tinha nenhum lugar pra nos amparar. Mais íamos com muita alegria, porque estávamos aprendendo coisas que durante 8 anos nunca tínhamos ouvido falar. Estávamos aprendendo a ser felizes.

Sem a gente perceber as coisas foram mudando.
Meu pai conseguiu um emprego fixo (onde está até hoje), nós fomos mudando de vida, e os problemas e as necessidades acabaram.

Bastou abandonarmos a lei, as imposições, os sacrifícios e tudo mudou.
Ai eu me lembro que Paulo diz:
Pois todos quantos são das obras da lei estão debaixo da maldição” (Gálatas 3.10).
Nós vivíamos debaixo de profunda maldição, tudo porque estávamos atrelados a leis imposições que só nos escravizava.
Se me perguntarem hoje: Por que você está na graça?
Eu tenho a resposta certa para essa questão.

SÓ NA GRAÇA DE DEUS O HOMEM PODE TER FELICIDADE

“O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” (João 10.10).

Se você não vive na graça de Deus você não tem vida, você não é feliz.
Você pode ter a impressão de que é feliz, mas se olhar bem pra dentro de Si, bem lá no seu interior, verá que ainda não descobriu o que é felicidade.
Jesus veio pra te dar vida, não morte.
Se você está em um lugar onde te ameaçam, te extorquem, dizem que você precisa sacrificar e pagar e o preço, saia de lá, este lugar não tem aprovação de Deus, não é uma igreja, é uma câmara de tortura.
Venha para um ministério onde a palavra é pregada com verdade, onde Deus é soberano, onde você possa viver por graça.
“O anjo, porém, lhes disse: Não temais, porquanto vos trago novas de grande alegria que o será para todo o povo: É que vos nasceu hoje, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor” (Lucas 2.10,11).
Jesus deve ser motivo de alegria e regozijo, mas para muitas pessoas hoje ele é motivo de tristeza e luto, porque muitos pregadores o apresentam assim.
Um Deus mau, interesseiro, que só faz algo por você depois que esfregar bem a cara no pó, depois que ralar bem o joelho no chão, depois que der todo o seu dinheiro a ele.
Não! Jesus é boa nova de grande alegria!
Ele veio pra te trazer vida, esperança!
Jesus veio pra te fazer feliz, se você não está feliz com o que a sua denominação prega, então é porque ela não está pregando Jesus, ela está pregando qualquer outra coisa menos o Jesus da Bíblia.
Você não pode aceitar que os cultos a Deus se tornem um fardo pra ti. Isto está errado!
Mas a culpa não é sua, a culpa é de quem está lá à frente que não tem a revelação da palavra de Deus.
Veja que interessante a confissão do salmista:
“Alegrei-me quando me disseram: Vamos à casa do Senhor” (Salmo 122.1).
Esta deve ser a tua confissão também. Se alegrar quando vem à casa de Deus.
Por que nos alegramos?
Porque aqui encontramos vida! Aqui encontramos alimento sólido, que edifica e dá herança entre os santos.
Aqui você está na escola do Espírito Santo, na comunhão dos santos, na presença de Deus, na fartura de alegria!
Aqui não tem demônios escondidos, como o Marco Feliciano acredita que tem e ora toda vez que vai pregar pra Deus expulsar os demônios em redor da igreja.
Aqui tem anjos do Senhor, valorosos em poder guardando e ministrando sobre a tua vida!
Aqui você está percorrendo um novo e vivo caminho, não o caminho de maldição, de trevas, de legalismo, de imposições, mas o caminho santo, onde o imundo não pode passar por ele!
Eu posso dizer que tenho alegria hoje, alias era assim que viviam os discípulos no passado:
“Os discípulos, porém, estavam cheios de alegria e do Espírito Santo” (Atos 13.52).
Você já reparou com são muito cristãos hoje? Parece que vivem com raiva o tempo todo, cara emburrada, ranzinza. Isto não é atitude de cristão.
Tem uma senhora que vende rações aqui no bairro e de vez em quando eu vou comprar ração pros meus animais lá.
E sempre, sempre quando vou lá, esta senhora está com uma feição de raiva, como se estivesse sempre muito chateada.
Ela é da Deus é amor. Só podia também não é?
Estas pessoas não são felizes, estão debaixo de maldição, não tem alegria de viver. Eu também fui assim um dia.
É por isto que não recomendo a ninguém  freqüentar estes lugares, é perda de tempo e perda de vida.
Mas irmão, isto não é muita prepotência de sua parte não?
Não! Pra que você que tem recebido vida aqui, tem se alimentado da palavra predestinada de sabedoria, pra que você iria para uma Deus é Amor? Pra Universal? Pra Seita de R. R. Soares? Pra que? O que você espera encontrar lá?
“Respondeu-lhe Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna” (João 6.68).
Você tem recebido aqui as palavras de vida eterna, você não precisa tocar em arca da aliança na segunda-feira, nem participar de uma corrente com 318 malandros, ou ter que adquirir um lenço suado pra se proteger do mal, uma rosa ungida pra absolver o mal de sua casa.
Não!!!!!
Você tem achado aqui um refúgio pra tua vida! Aqui você tem luz!
“Então Jesus tornou a falar-lhes, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue de modo algum andará em trevas, mas terá a luz da vida” (João 8.12).
Há muitas pessoas andando em trevas! Trevas quer dizer engano.
Uma pessoa enganada faz tudo que lhe mandam, e faz tudo o que desagrada a Deus.
Ela não sabe discernir o que são mandamentos e preceitos humanos, ela não pode ver, porque seus olhos espirituais estão cobertos pelos sofismas, pelas fortalezas.
Se a palavra não chegasse até ela, então Jamais seria liberta.
“Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres” (João 8.36).
Veja como é importante que nós estejamos aqui insistindo nesse tema.
Um dia nós também chegamos ao conhecimento dessas verdades porque alguém insistiu conosco.

A suma do que eu quero dizer é que você é feliz em Cristo Jesus!

A Igreja é um lugar onde você deve se sentir bem.

É onde você encontra vida, a vida em abundância que Nosso Senhor prometeu.

É onde você é ensinado a viver pela palavra.

Então você pode se alegrar no Senhor como disse o apóstolo Paulo:

Quanto ao mais, irmãos, alegrai-vos, sede perfeitos, sede consolados, sede de um mesmo parecer, vivei em paz; e o Deus de amor e de paz será convosco” (2ª Coríntios 13.11).

Você tem promessas grandiosas feitas pelo Senhor, você tem uma palavra que te assegura vida eterna, você tem a segurança vinda de Deus, então se alegre, se alegre mesmo nas tribulações.
Ai fora se ensina que o crente só pode estar feliz se tiver com dinheiro no bolso, com carro na garagem, com saúde perfeita.
Não!!!!!!!!

Se alegre mesmo nos momentos de tribulação, porque você sabe que o teu Deus está providenciando escape para você!
Porque você sabe que está sendo aperfeiçoado, está sendo transformado em um ministro competente!
“E não somente isso, mas também gloriemo-nos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a perseverança, e a perseverança a experiência, e a experiência a esperança; e a esperança não desaponta, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado” (Romanos 5.3-5).
O amor de Deus está sobre sua vida!
Existe uma coisa que muitos não sabem diferenciar. Quando dizemos assim: Você é uma pessoa feliz pela graça de Deus!
Alguns pensam: Não posso acreditar nisso, pois estou passando por tristezas.
Estas pessoas não entendem que felicidade não é um momento, é um estado, você é feliz, e tem momentos de alegria e de tristeza, mas você é feliz!
Jesus te salvou, não existe mais condenação pra você, teu destino é o céu, então se alegre!
Mesmo que venham momentos de tempestade, se alegre, você é feliz, você é bem-aventurado!
Confie na provisão de Deus e olhe para as promessas que te aguardam!
Não deixe que esse mundo roube de você a paz que Cristo te dá.
“Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós cada vez mais abundantemente um eterno peso de glória; não atentando nós nas coisas que se vêem, mas sim nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, enquanto as que se não vêem são eternas” (2ª Coríntios 4.17,18).
Tem muita glória e galardão preparados para você, as tristezas desse mundo não se comparam, então se alegre no Senhor!
Na graça de Deus você é feliz!!!!!

Ir. Samuel